fbpx

Autoridades

O Poder Só Corrompe Quem Não Abre Mão Dele…

Vai tão longe o ano de 2010 que até me sinto constrangido por constatar a grande necessidade de reavivar um delicado assunto abordado naquela época e cuja conclusão parece permanecer desconhecida para muitos.
Quantos, agora em 2022, ainda têm a capacidade de ler?
E, dentre estes, quão poucos ainda têm habilidade para compreender o que foi lido?!?
O crescente analfabetismo funcional, o quase absoluto desvio funcional das empresas eclesiásticas e a aproximação de mais um pleito eleitoral são fatores oportunos à apresentação de importantes argumentos baseados nas Escrituras que, na realidade, nunca se alteraram e acabaram por se tornar ainda mais incômodas e atuais do que nunca.

Naquela época eu ainda não havia sido tocado pela surdez e, após ter escapado da contaminação apóstata que consumiu minha empresa eclesiástica original, buscava ansiosamente por outra eclesiástica onde houvesse sanidade bíblica e na qual pudesse me filiar como membro… tendo, inclusive, sofrido muito (psicológica e até fisicamente) pelas sucessivas decepções.
De fato, ainda não havia alcançado o entendimento que agora possuo e me preocupava com coisas estapafúrdias como a tal “cobertura espiritual” ou as muitas ameaças e maldições lançadas por pessoas que, afirmando-se cristãs, eram incapazes de simplesmente buscar o entendimento da Verdade através das Escrituras!

ANALISANDO A SERVIDÃO

Os relatos de minhas desventuras acabavam estimulando que muitos leitores entrassem em contato, inclusive alguns enviavam palavras cujo coração ardente era evidenciado, porém carentes de argumentação bíblica mais profunda.
Foi esse o caso do autor dessa mensagem bem intencionada:

Gostaria de apresentar meu pequeno testemunho:
Já fui um “sem igreja”, pois fui convertido no meio de ímpios (sem ninguém que pagasse um preço para me consolidar), mas mesmo andando em pecado por não conhecer plenamente a Palavra, eu me mantinha em oração e resistindo a pisar numa igreja por causa da maledicência que paira na boca do mundo.
E foi através da oração que Deus me deu uma amiga serva que pertencia a uma igreja maravilhosa onde eu congrego atualmente e posso dizer: É ESSENCIAL congregar porque É ESSENCIAL ESTAR DEBAIXO DE AUTORIDADE!

Quem quer ser rei e executar o plano de Deus nessa vida, tem que primeiro ser servo como Jesus foi.
Estar submisso a alguém com mais experiência, tanto na Palavra quanto na vida, para dar conselhos cheios do Espírito Santo é essencial

Você sabe que o coração é mais enganoso que todas as coisas e que a ovelha que não atende ao chamado do pastor é considerada rebelde e, ficando desgarrada das outras, é preza fácil de lobos!
Este mundo jaz no maligno e quem for ovelha não pode ficar desgarrado e passeando por ele, pois se torna em presa fácil.

Os irmãos que lerem isso devem lembrar de Samuel que, numa época sem Palavra de Deus na boca dos sacerdotes, foi fiel aos seus líderes e à obra de Deus, sendo visto por Deus como seu amigo: quem não consegue servir a quem vê, como quer ser usado por quem não se vê?
É chegado o Reino de Deus e reinos são compostos por hierarquias: abram seus olhos e vejam!
Perguntem para Deus: Deus como é que funciona? O que o Senhor quer para mim?
Quem anda pelos seus sonhos e pela sua própria força, não é digno de Jesus!

E, Teóphilo, que Deus abra as portas do céu na sua vida financeira em nome de Jesus Cristo, o nazareno!
E que, mais que isso, te encha cada dia mais do seu entendimento, pois nada mais importa nesse mundo do que a presença de Deus nas nossas vidas: obedecer, servir, honrar = SER FIEL.
Shalom Adonai!

Sinceramente vi intenções puras nessas palavras e amei esse jovem leitor e, mesmo quase tendo certeza de que minha resposta iria desagradá-lo profundamente, decidi apresentar argumentos verdadeiramente baseados nas Escrituras na expectativa de que o Espírito Santo atuasse dando entendimento capaz de mudar esse discurso apaixonado e irracional em defesa das autoridades.

O PAPEL DA AUTORIDADE

A paz do Senhor seja contigo!
Não estou querendo afrontar ninguém, mas preciso falar o que o Espirito Santo me diz para falar, pois Deus te ama e está me usando pra te falar isso:

Todos devem sujeitar-se às autoridades superiores;
porquanto, não, há autoridade que não venha de Deus; e as que existem foram ordenadas por Ele.
Portanto, quem se recusa a submeter-se à autoridade está se colocando contra o que Deus instituiu, e aqueles que assim procedem trazem condenação sobre si mesmos.
Porque os governantes não podem ser motivo de temor para os que praticam o bem, mas para os que fazem o mal.
Não queres sentir-se ameaçado pela autoridade?
Faze o bem, e ela o honrará. Pois ela serve a Deus para o teu bem.
Mas, se fizerdes o mal, teme, pois não é sem razão que traz a espada. É serva de Deus, agente da justiça para punir quem pratica o mal.
Portanto, é imprescindível que sejamos submissos às autoridades, não apenas devido à possibilidade de uma punição, mas também por causa da consciência.
Por esta razão, igualmente pagais impostos;
porque as autoridades estão a serviço de Deus, e seu trabalho é zelar continuamente pela sociedade.
Dai a cada um o que lhe é devido: se imposto, imposto; se tributo, tributo; se temor, temor; se honra, honra.

(Romanos 13:1-7 – KJA)

Estas palavras são do apóstolo Paulo e peço que preste atenção no trecho destacado em letras maiúsculas, pois as autoridades são usadas por Deus para o nosso BEM!
Certamente foi o próprio Senhor Deus quem estabeleceu ORDEM, REINOS e HIERARQUIAS a serem respeitadas e cumpridas nos governos, na Igreja e em qualquer outro lugar: até no reino animal se vê claramente quem é o líder dos bandos, manadas, matilhas — ou o coletivo que seja — ao qual todos os outros se submetem.
Do mesmo modo, fica bem claro na passagem acima que o ministro — ou potestade ou autoridade… — apenas exerce tal papel sob a mão do Senhor Deus enquanto o faz no sentido de praticar o bem: a partir do momento em que sucumbe a seus próprios “poderes” e se torna subvertido, passando a promover e praticar quaisquer coisas que não sejam o bem… há claras instruções sobre isso nas Escrituras:

Entretanto, agora vos escrevo para que não vos associeis com qualquer pessoa que,
afirmando-se irmão, for imoral ou ganancioso, idólatra ou caluniador, embriagado ou estelionatário.
Com pessoas assim não deveis sequer sentar-se para uma refeição.

(1 Coríntios 5:11 – KJA)

LIMITES DA SUBMISSÃO

Achei perfeita sua citação do Senhor Jesus Cristo porque n’Ele encontramos o exemplo mais perfeito e extremo de submissão, pois mesmo sendo Deus aceitou submeter-se às rudimentares e falhas leis humanas no intuito de cumprir em si próprio o plano da redenção eterna.
Porém há alguns momentos de sua trajetória, devidamente registrados nas Escrituras, que devemos observar:

CRISTO

1. Com apenas doze anos já demonstrava sabedoria suficiente para pregar aos sábios do templo, porém mesmo sendo hábil para “dar um banho” em qualquer ser humano… veja o que está escrito sobre seu comportamento após sua mãe tê-lO encontrado:

Contudo, Ele seguiu com eles para Nazaré, pois lhes era obediente.
Sua mãe, entretanto, meditava silenciosamente em seu coração sobre todos estes acontecimentos.

(Lucas 2:51 – KJA)

Quem exerce autoridade (e assume responsabilidades) sobre a vida de uma criança?
Apesar de atualmente os socialistas e comunistas viverem ávidos para que o Estado assuma esse papel, é natural, histórico e bíblico que tais atribuições são vinculadas aos pais e mães e simplesmente não haveria propósito para quebrar tal ordem: Cristo, mesmo consciente de que era o filho de Deus, simplesmente obedeceu, encerrou sua pregação e foi!

2. Já mais tarde, após seu batismo (quando sua autoridade já havia sido diretamente confirmada por Deus), foi enviado ao deserto e tentado pelo próprio Diabo durante quarenta dias. Deste relato podemos transcrever o importantíssimo trecho:

Então o Diabo o levou a um lugar muito alto e lhe mostrou, em uma fração de tempo, todos os reinos do mundo.
E lhe propôs:
“Eu te darei todo o poder sobre eles e toda a glória destes reinos, porque me foram entregues e tenho autoridade para doá-los a quem bem entender.
Portanto, se prostrado me adorares, tudo isso será teu!”
Contudo Jesus lhe afirmou:
“Está escrito: ‘Ao Senhor teu Deus adorarás e só a Ele darás culto’”.

(Lucas 4:5-8 – KJA)

Há tanta informação a ser observada nessa passagem que sua análise completa abrangeria até a geopolítica, mas, por agora, vamos nos limitar a destacar que Cristo sequer se preocupou em desmentir ou confrontar o Diabo em relação aos poderes que este declarou possuir: simplesmente DESOBEDECEU SUA AUTORIDADE e resistiu à sua proposta com base nas Escrituras!

Podemos acrescentar o episódio constante em Lucas 6:1-5 como outro exemplo da mais espontânea “rebelião” contra as leis estabelecidas por autoridades enquanto, aparente paradoxo, demonstrou absoluta humildade (e onisciência) em João 13… e a lição a ser extraída desses episódios é extremamente importante:

A OBEDIÊNCIA ÀS AUTORIDADES E SUAS LEIS NÃO DEVE SER IRRACIONAL, MUITO MENOS AUTOMÁTICA!
PEDRO

O apóstolo Pedro teve que lidar com este mesmo tipo de conflito após a partida de Cristo e deixou bem claro como devem proceder os verdadeiros cristãos quando os apóstolos, miraculosamente libertos da prisão — e ao contrário de fugir, decidiram ir pregar o Evangelho no pátio do inutilizado Templo —, foram trazidos às autoridades:

E, depois de trazê-los, os apresentaram ao Sinédrio.
E o sumo sacerdote os interrogou:
Não vos ordenamos expressamente que não pregásseis nesse Nome?
Contudo, enchestes Jerusalém dessa vossa doutrina e quereis lançar sobre nós a culpa pelo sangue desse homem?”
Ao que Pedro e os demais apóstolos afirmaram:
É necessário que primeiro obedeçamos a Deus, depois às autoridades humanas.

(Atos 5:27-29 – KJA)

O contexto no qual essa passagem ocorreu permite reflexões ainda mais abrangentes e pouco perceptíveis para a maior parte dos cristãos da atualidade, mas — da mesma forma que os homens atualmente denominados “pastores” não são inquestionáveis — as empresas eclesiásticas estão seguindo uma trajetória de aberta ruptura contra a verdadeira Igreja de Cristo e convido o leitor a refletir sobre isso lendo outro artigo intitulado “Encerrando Ciclos“, pois é um tema perfeitamente complementar ao que está sendo abordado aqui.

PAULO

O jovem Saulo cresceu entre os fariseus, era seguidor e profundo conhecedor da lei dos profetas e do torá e, na mais absoluta obediência às autoridades e perfeitamente dentro da lei, devastava a Igreja e ameaçava de morte todos os seguidores do Senhor Jesus Cristo, inclusive os discípulos.

Entrementes, Saulo ainda respirava ameaças de morte contra os discípulos do Senhor.
Dirigindo-se ao sumo sacerdote, pediu-lhe cartas para as sinagogas de Damasco, de maneira que, eventualmente encontrando ali, homens ou mulheres que pertencessem ao Caminho, estivesse autorizado a conduzi-los presos a Jerusalém.

(Atos 9:1-4 – KJA)

Ao contrário do que é necessário em nossos dias, a conversão de Saulo foi miraculosa e, se observarmos atentamente, ocorreu até mesmo não apenas fora, mas totalmente contra sua vontade: ele nunca planejou estar entre aquela rebelião de gente fora-da-lei a quem ansiava matar: a operação soberana e sobrenatural de Deus não apenas subverteu suas convicções, mas o colocou, desde o seu “nascimento cristão”, exatamente junto daqueles a quem tanto odiava!

Imediatamente lhe caíram dos olhos algo parecido com umas escamas, e ele passou a ver de novo.
Em seguida, levantando-se, foi batizado.
E, depois de alimentar-se, ganhou novas forças e passou vários dias na companhia dos discípulos em Damasco.
Logo após, Saulo começou a pregar nas sinagogas que Jesus é o Filho de Deus.

(Atos 9:18-20 – KJA)

Não foi iniciativa de Saulo, mas o próprio Deus providenciou para ele pudesse absorver conhecimento diretamente dos discípulos que, não sem razão, ainda o temiam por sua fama antiga.

Assim que chegou a Jerusalém, procurou reunir-se aos discípulos de lá,
contudo, todos estavam assustados e com medo dele, pois não conseguiam acreditar que Saulo fosse um verdadeiro discípulo.
Mas Barnabé, tomando-o consigo, o levou aos apóstolos e lhes narrou como, no caminho, Saulo vira o Senhor, que lhe falara, e como em Damasco ele havia pregado em o Nome de Jesus com poder e coragem.

(Atos 9:26-27 – KJA)

A passagem acima relata exatamente quando aparece Barnabé, que — usando as palavras de sua mensagem — “pagou o preço” para “ser autoridade” sobre a vida do futuro apóstolo derradeiro, trazendo-o para junto de si, ensinando-o e fazendo dele seu discípulo:

E aconteceu que Barnabé decidiu viajar para Tarso, a fim de encontrar-se com Saulo
e, assim que o achou, levou-o consigo para Antioquia.
Então, durante um ano completo, Barnabé e Saulo se reuniram com aquela igreja e ensinaram a muita gente.
Em Antioquia, os discípulos foram pela primeira vez chamados cristãos.

(Atos 11:25-26 – KJA)

No começo daquela vida cristã, podemos ver menção a “Barnabé e Saulo” em várias passagens (Atos 11:30 / 12:25 / 13:2) e isso nos permite um entendimento de que Barnabé estava à frente de Paulo, ou seja: aonde Barnabé ia seu discípulo estava lá!
É curioso destacar que em todas essas passagens a referência cita o nome “Saulo”, ou seja, o velho homem, o homem que ainda teria um longo caminho pela frente.
E, de fato, é apenas a partir de Atos 13:9 e da ousada repreensão proferida contra Elimas, o mago, que seu nome passa a ser grafado como “Paulo” e, detalhe pouco comentado mas bastante relevante ao tema que estamos abordando, a partir de Atos 13:43 vemos a citação de “Paulo e Barnabé” (repetida em Atos 14:1), ou seja, o discípulo não só foi diplomado mas, mais do que isso, tornou-se um líder… uma autoridade!

Ao contrário de cultivar indivíduos subservientes (como, para ter sustento pela vida inteira, fazem os modernos pastores), tão boa autoridade instrutora foi Barnabé que seu discípulo alcançou tamanha capacidade de expressão do Evangelho que a multidão da cidade chamada Listra chegou, erroneamente, a considerá-lo a encarnação de um dos deuses do panteão grego!

Diante do que Paulo realizara, a multidão começou a gritar:
“Os deuses desceram até nós em forma de seres humanos!”
E assim, a Barnabé deram o nome de Zeus,
e a Paulo chamaram Hermes, pois era ele quem falava com poder.

(Atos 14:11-12 – KJA)

Por fim, havendo Paulo alcançada a maturidade de sua fé, nos deparamos com outro importantíssimo episódio:

Passados alguns dias, Paulo propôs a Barnabé:
“Voltemos, agora, para visitar os irmãos por todas as cidades nas quais pregamos a Palavra do Senhor, a fim de observarmos como estão vivendo”.
E Barnabé queria que João, também chamado Marcos, os acompanhassem.
Paulo, entretanto, não conseguia ver razão para levar consigo aquele que desde a Panfília havia decidido se afastar deles e não os acompanhara até o fim da missão.
Por esse motivo, tiveram um desentendimento tão exacerbado que decidiram se separar.
Barnabé partiu, levando consigo Marcos e navegaram para Chipre.
Paulo, no entanto, preferiu a companhia de Silas, partiu entregue aos cuidados do Senhor pelos irmãos.

(Atos 15:36-40 – KJA)
DESAVENÇAS CRISTÃS ANALISADAS EM
OS PROSTÍBULOS DA IRA

A maioria dos que se afirmam cristãos em nossos dias apresentam um entendimento tão medíocre das Escrituras que se pudessem realmente ler essa passagem provavelmente revelariam sua ignorância a ponto de ouvirmos frases como:
— Mas Paulo não ofereceu a outra face? O cristão não é obrigado a perdoar setenta vezes sete?
— Mas se Paulo não aceitou a visão de seu líder então ele entrou em rebelião… e rebelião é feitiçaria!!!
— Paulo ficou sem cobertura espiritual?!?
A verdade é que — de forma parecida com Raabe, aquela que creu em Deus sem ter visto qualquer sinal, ocultou os espiões israelitas das autoridades em Jericó e, por isso, sobreviveu para ser mãe de Boaz, bisavó de Davi e constar na genealogia do próprio Senhor Jesus Cristo! — Barnabé cumpriu seu papel, vindo a ser citado posteriormente numa lembrança, de forma realista, por Paulo:

Quando, porém, Pedro chegou a Antioquia, eu o enfrentei face a face, por causa da sua atitude reprovável.
Porque antes de chegarem alguns da parte de Tiago, ele fazia suas refeições na companhia dos gentios;
todavia, quando eles chegaram, Pedro foi se afastando até se apartar dos incircuncisos, apenas por temor aos que defendiam a circuncisão.
E os outros judeus de igual modo se uniram a ele nessa atitude hipócrita,
de modo que até mesmo Barnabé se deixou influenciar.

(Gálatas 2:11-13 – KJA)

Nessa passagem Paulo expõe detalhadamente seu perfeito discernimento em relação à operação de erro que havia sido apresentada de forma generalizada em Atos 15:1-29, onde, aliás, sequer foi mencionada essa insegurança que acometeu Barnabé: o relato completo e sem omissão é, longe de qualquer intenção ofensiva, um legado para que as futuras gerações de cristãos não tenham medo de promover a Verdade, sem atribuir falsas qualidades de perfeição ou omitir as falhas e inseguranças que podem afligir qualquer ser humano, a despeito de sua posição.

UNIDADE NA FÉ

Tendo visto todos esses exemplos, fica evidente que a vida cristã é composta de fases em cuja etapa inicial realmente é imprescindível a atuação de uma autoridade, homens aos quais a vivência forneceu maior bagagem e capacidade para instruir e edificar outros irmãos, que não buscam com avidez o peso de glória sobre seus nomes aqui nesta terra e capazes de apresentar as Escrituras da forma mais completa que lhes for possível, evitando coisas como parcialidades denominacionais ou misticismos infundados, exatamente ao contrário de como age a maior parte dentre os “grandes líderes” da atualidade, que contaminam a pureza da Palavra com marketing pessoal e das franquias eclesiásticas que administram:

LADO A LADO, ATÉ ALCANÇAR A UNIDADE (EQUILÍBRIO)

Aquele que desceu é o mesmo que semelhantemente subiu muito além de todos os céus, para preencher tudo o que existe.
Assim, Ele designou alguns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres,
com o propósito de aperfeiçoar os santos para a obra do ministério,
para que o Corpo de Cristo seja edificado, até que todos alcancemos a unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus,
e cheguemos à maturidade, atingindo a medida da estatura da plenitude de Cristo.
O objetivo é que não sejamos mais como crianças, levados de um lado para o outro pelas ondas teológicas, nem jogados para cá e para lá por todo vento de doutrina e pela malícia de certas pessoas que induzem os incautos ao erro.

(Efésios 4:10-14 – KJA)

Nessa passagem fica explícito que o objetivo de todas as autoridades enumeradas não é a dominar pessoas para que a elas permaneçam submissas pelo tempo de suas vidas, mas sim o aperfeiçoamento e a formação de novas autoridades exatamente da mesma medida que elas próprias, ou seja, um trabalho onde todos os cristãos têm acesso e possibilidade de alcançar a biblicamente desejável “unidade na fé”.
Nunca confundamos tal unidade com os multiformes dons distribuídos por Deus através de Sua graça nem tentemos estabelecer uma escala para glorificar as realizações pessoais: a brevidade com que Raabe ou Barnabé são citados nas Escrituras de forma alguma é equivalente à relevância de suas ações!
Então, o papel que Deus determinou para você desempenhar nesta vida pode ter sido o de evangelizar aquela pessoa de quem hoje nem lembra mais: nunca foi nosso o poder de escolher quem será salvo, muito menos podemos suplantar a ação de convencimento exclusiva do Espírito Santo!

A VERDADE É QUE AS ESCRITURAS, APENAS ELAS, SÃO A ÚNICA “UNIDADE NA FÉ” VÁLIDA ENTRE OS LEGÍTIMOS CRISTÃOS!

Então, disse Jesus aos judeus que haviam crido nele:
“Se permanecerdes na minha Palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos.
E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.
(…)
Assegurou-lhes Jesus:
Eu Sou o Caminho, a Verdade e a Vida.
Ninguém vem ao Pai senão por mim.”
(…)
Santifica-os pela tua verdade; a tua Palavra é a verdade.

(João 8:31-32 / 14:6 / 17:17 – KJA)

REIS E SACERDOTES

Sua citação de Samuel, o sacerdote, e o uso das palavras “quem quer ser rei…” também não deixam de ser interessantes, pois evidenciam uma grande confusão que enreda você e praticamente 95% dos que se afirmam cristãos em nosso tempo, cuja leitura atenta de duas simples passagens tem poder para esclarecer definitivamente:

Siga os exemplos de fé, nunca a ritualística!

Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre.
E isto disse ele do Espírito que haviam de receber os que nele cressem;
porque o Espírito Santo ainda não fora dado,
por ainda Jesus não ter sido glorificado.

(João 7:38-39 – ACF)

E da parte de Jesus Cristo,
que é a fiel testemunha, o primogênito dentre os mortos e o príncipe dos reis da terra.
Àquele que nos amou, e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados,
E nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai;
a ele glória e poder para todo o sempre.
Amém.

(Apocalipse 1:5-6 – ACF)

De fato, na época veterotestamentária eram necessários vários procedimentos até que, através da unção com óleo, fossem estabelecidos os sacerdotes e os reis, funções distintas e essenciais para existência do governo teocrático israelita: não são poucos os relatos de reis entrando em guerra contra povos guiados por sacerdotes cujos deuses não eram O Senhor, assim como não foram poucas as repreensões dos sacerdotes contra reis de conduta incorreta e, enfim, um ministério acabava lastreando as atividades do outro porque apesar de eventualmente inspirados pelo Espírito Santos, todos aqueles homens, sem exceção, simplesmente não eram habitados por ele.
Já os cristãos, diante das passagens citadas, além de aglutinar AMBAS as funções, simplesmente não tem a opção de “querer ser rei” ou “querer ser sacerdote”… na verdade, assim como no caso de Paulo, um cristão não tem sequer a opção de querer ou não ser cristão ou controlar o acesso das outras pessoas ao evangelho!

Ninguém pode vir a mim a menos que o Pai, o qual me enviou, o atrair;
e Eu o ressuscitarei no último dia.
Está escrito nos Profetas: ‘E serão todos ensinados por Deus’.
Sendo assim, todo aquele que ouve o Pai e dele aprende, vem a mim.
(…)
Como consequência, a fé vem pelo ouvir as boas novas,
e as boas novas vêm pela Palavra de Cristo.

(João 6:44-45 / Romanos 10:17 – KJA)

De fato, a principal característica do cristão genuíno é sua fidelidade à unidade da fé — a saber, as Escrituras — e apenas dessa forma pode estar repleto do Espírito Santo e exercer simultaneamente seu duplo papel de rei e sacerdote, ou seja, estar tanto disposto a ser exortado quanto tomar sobre si a responsabilidade de exortar!

A maior catástrofe dentre os que se dizem cristãos em nossos dias é que grande parte deles se achegou à comunidade SEM NUNCA, DE FATO, TER CONHECIDO VERDADEIRAMENTE AS ESCRITURAS!
As autoridades eclesiásticas simplesmente vêm lotando suas empresas com uma multidão manipulada por emoções, ávida por benefícios materiais, curas, milagres, sensações, convivência social, tolerância, inclusão… pessoas reunidas em torno de pretextos que aparentam ser muitas coisas, MENOS A VERDADEIRA UNIDADE DA FÉ DEFINIDA ESTRITAMENTE ATRAVÉS DA SOLIDEZ DA PALAVRA DE DEUS!

…com aparência de piedade, todavia negando o seu real poder.
Afasta-te, portanto, desses também.

(2 Timóteo 3:5 – ACF)

Apenas essa bondade perniciosa pode explicar porque dentre um número imenso de autodenominados “cristãos” praticamente ninguém esteja atento e capacitado para reconhecer quando alguma autoridade perde sua razão e tomar sobre si a responsabilidade de agir conforme as muitas recomendações bíblicas, dentre as quais citarei apenas uma:

Fiel é a palavra, e isto quero que deveras afirmes,
para que os que creem em Deus procurem aplicar-se às boas obras;
estas coisas são boas e proveitosas aos homens.
Mas não entres em questões loucas, genealogias e contendas, e nos debates acerca da lei; porque são coisas inúteis e vãs.
Ao homem herege, depois de uma e outra admoestação, evita-o,
Sabendo que esse tal está pervertido, e peca, estando já em si mesmo condenado
.

(Tito 3:8-11 – ACF)

Infalível é apenas O Senhor Deus: qualquer humano que se afirme como tal ou todos os que venham a aceitar e se submeter a tal insanidade são, para começo de conversa, ególatras ou idólatras!
Seguir uma “autoridade” apenas por imaginar que ela seja uma autoridade — sem a plena justificativa bíblica — é pura e simplesmente revelar ignorância e, por isso, medo de assumir suas responsabilidades de rei e sacerdote para com Deus, tornando-se elemento ativo na instauração da apostasia.
Se sua liderança está praticando alguma forma de mal — desde simples deturpação até as mais graves heresias — e ainda assim você permanece em submissão e aquiescência imaginando que através disso receberá alguma honra ou bênção da parte de Deus… é melhor saber de algo que foi estabelecido desde os tempos da Lei e não deixou de valer:

Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal;
que fazem das trevas luz, e da luz trevas;
e fazem do amargo doce, e do doce amargo!
Ai dos que são sábios a seus próprios olhos, e prudentes diante de si mesmos!
Ai dos que são poderosos para beber vinho, e homens de poder para misturar bebida forte;
Dos que justificam ao ímpio por suborno, e aos justos negam a justiça!
Por isso, como a língua de fogo consome a palha, e o restolho se desfaz pela chama,
assim será a sua raiz como podridão, e a sua flor se esvaecerá como pó;
porquanto rejeitaram a lei do SENHOR dos Exércitos, e desprezaram a palavra do Santo de Israel.
(…)
Todos os seus atalaias são cegos, nada sabem;
todos são cães mudos, não podem ladrar;
andam adormecidos, estão deitados, e gostam do sono.
E estes cães são gulosos, não se podem fartar;
e eles são pastores que nada compreendem;
todos eles se tornam para o seu caminho, cada um para a sua ganância, cada um por sua parte.
Vinde, dizem, trarei vinho, e beberemos bebida forte;
e o dia de amanhã será como este, e ainda muito mais abundante.

(Isaías 5:20-24 / 56:10-12 – ACF)

Será que o profeta Isaías se equivocou ao registrar “TODOS ELES” e esse é um trecho das Escrituras que anula o “Sola Scriptura”?
Ao longo de meu ministério — e através de bastante sofrimento e decepção — o Senhor aumentou minha fé n’Ele, mas me permitiu ver que o único papel de muitas dessas “autoridades pastorais” capengas é apenas meter medo em quem não tem coragem de viver pela fé genuína, aquela obtida somente através do estudo e conhecimento da Palavra de Deus.

Esse, com certeza, é um caminho estreito, doloroso e, humanamente falando, bastante desagradável… principalmente pelo fato de que a busca pela Verdade acaba implicando em discordar de algumas pessoas e desagradar completamente a outras: querer servir ao Senhor Deus em Espírito e em Verdade acaba nos deixando poucos verdadeiros irmãos em Cristo.
Posso dizer que foi o próprio Senhor quem me ensinou a quebrar meu orgulho para ajudar os outros, muitas vezes até mesmo quem não me faz o bem: quanto mais eu me prostro, mais as pessoas me tratam com respeito, tanto quem me conhece quanto quem não me conhece, pois Deus passa a andar com você quando vê obediência que O permita, pelo mover do Espírito Santo, te dar ordens diretamente.

Procuro melhorar a cada dia, pois considero estar no início da minha caminhada, de modo que em todas as áreas a cada dia eu quero estar melhor e é esse desafio que me move: o desafio de ser quebrantado e buscar a Deus em primeiro lugar.

Aí, quando vem algum executivo de empresa eclesiástica — vulgo pastor — afirmando que sua franquia é a Igreja e todos fora dela estão “sem cabeça” ou “em rebelião”, eu também lanço Isaías 56:10-11 e questiono: ou temos “Sola Scriptura” e palavra perfeita, ou então onde se lê “TODOS OS PASTORES” encontramos um erro… não posso crer que você seja o “alecrim dourado” a ser exceção na profecia.

Quero nunca pensar que já sei tudo, pois quando eu era uma criança lia a bíblia e não entendia muito, agora já entendo mais e, lá na frente, vou entender mais ainda… mas até lá quero poder contar com quem já estudou, quem já viveu, com a “multidão dos conselheiros” para encontrar as palavras sábias: espero sinceramente que você possa fazer proveito desse estudo.

Bom, este é o jeito que eu vivo em Cristo: uma vida com muitas lutas, eventuais vitórias, mas, acima de tudo, sempre agradecendo a Ele por tudo, pois todas as coisas — até mesmo as aparentes derrotas — contribuem conjuntamente para o bem daqueles que amam a Deus. Amém?
Que Deus te abençoe tremendamente!

SIGA O LÍDER?

Junto a esta lúcida e carinhosa lição de Escrituras eu havia emendado a transcrição das mensagens que, na época, havia trocado com Daniel Mastral e outros componentes de sua estrutura de apoio empresarial porque enxergava nele o reflexo do discurso sobre autoridades incluso em suas palestras e livros.
Ao fazer a releitura para esta revisão da postagem original, me deparei com aquele constrangedor episódio e decidi não trazê-lo junto para esta atualização, tanto porque reconheço que meu estilo de escrita se aperfeiçoou e clarificou com o tempo, quanto porque acaba sendo conteúdo mais pelo qual lamentar do que relevante para edificação: optei por deixá-lo disponível, à parte, neste link.

Se Mastral foi o primeiro a revelar a parcialidade de sua pregação com objetivo vendê-lo como um tipo de messias, desde então as decepções com os líderes só se acumularam e até aqueles por quem ainda tenho algum respeito têm se revelado escravos das limitações doutrinárias impostas pelas franquias eclesiásticas que pagam seus salários ou, situação ainda mais dramática, das quais são donos.

POSTURA DE AUTORIDADE…

Apenas para citar o exemplo mais recente e não deixar o satanista como único nome citado, temos o terrível episódio envolvendo Neil Barreto, proprietário da marca “Betânia” que, em 2020, classificou qualquer um que não paga o dízimo (coisa inexistente na Nova Aliança) como “mau caráter e desonesto” antes de expulsá-los de sua empresa eclesiástica.
É incrível como ele miraculosamente esqueceu que oito anos antes disso havia fornicado (ou adulterado?) com uma “ovelhinha” do louvor e gerado uma criança da qual, inclusive, muitos dizem ter sugerido o aborto!

Práticas sexuais indevidas, ao contrário do ato de entregar dinheiro, nunca deixaram de ser pecado e esse episódio deixa em evidência quem é realmente o “mau caráter e desonesto” capaz de esconder sua canalhice por todo esse tempo, mantendo de maneira absolutamente indevida sua posição de autoridade no que deveria ser o Corpo de Cristo, mas que diante de tais fatos se revela apenas como um curral com rebanho de mentes cauterizadas para que nunca se libertem do jugo de sua “autoridade”.
Após ser exposto, Neil colocou seu “cargo” à disposição e foi tirar dois meses de licença, provavelmente bem remunerada pelos “bom caráter e honestos” cristãos absolutamente ignorantes das Escrituras que frequentam o clube do qual, por sinal, ele não deixou de ser proprietário.

POSTURA DE “AMIGÃO”…

E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores,
que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou,
trazendo sobre si mesmos repentina perdição.
E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade.
E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas;
sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença,
e a sua perdição não dormita.

(2 Pedro 2:1-3 – ACF)

Parabéns, Neil! Você figura entre as grandes e reverenciadas autoridades cristãs evangélicas de nosso tempo que estão se esforçando bastante para cumprir a profecia… mas pode ter certeza de que não faltam pequenos e irrelevantes donos de “biroscas gospel” se inspirando no seu exemplo!

A atual geração de molengas se julga por demais delicada e exclusiva, vivendo a ilusão de que tudo deve se curvar à sua vontade para que não se sinta traumatizada ou ofendida: pessoas que não aceitam a si próprias querem obrigar a sociedade a acatar suas rebeldias desde a contra o sexo com o qual nasceram até a insanidade de querer alterar a própria essência do Evangelho ao ponto em que suas degeneradas obscenidades não mais possam ser chamadas de pecado.

A maioria das empresas eclesiásticas que hoje chamamos de “igrejas” nada mais são que currais cheios de gente sem conhecimento real das Escrituras, sem coragem de manusear por si próprias a Espada da Verdade e que, por covardia ou conveniência, optam por passar a vida inteira dependendo da interpretação temerária e limitadora de cães gulosos que se estabelecem como autoridades inquestionáveis para que, comumente através de perpétuo nepotismo, possam extrair regularmente a gordura de suas “ovelhas”.

Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo.
E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz.
Não é muito, pois, que os seus ministros se transfigurem em ministros da justiça;
o fim dos quais será conforme as suas obras.

(2 Coríntios 11:13-15 – ACF)

UM ARTIGO PARA QUEM AINDA NÃO ENTENDEU A DIFERENÇA
ENTRE “IGREJA” E “EMPRESAS ECLESIÁSTICAS”

FELIZ REENCONTRO

Desde que o artigo original foi publicado, no penúltimo dia de 2010, nunca mais soube notícias do jovem que me enviou a carta: o tempo me ensinou a ser desses que lança a Palavra sem mistura e deixa que o Espírito Santo faça seu trabalho… aprendi que cultivar expectativas gera ansiedade, gastrite e decepções.
Porém algumas vezes surgem informações que fazem valer muito a pena todo o tempo que dedico a esse trabalho… e foi isso que aconteceu pouco antes de iniciar a temporada onde paro de escrever para me dedicar às declarações de imposto de renda, com a chegada de um e-mail na tarde de 23 de fevereiro:

Boa tarde,
Foi com você que tive um debate muito construtivo no início da minha caminhada e gostaria de trocar e-mails agora, 12 anos depois, para te contar o que aconteceu de lá para cá e testemunhar minha vivência, pois, com certeza, muita coisa do que ocorreu comigo você já esperava.
Se estiver interessado nesse assunto pode responder aqui. Só peço que, caso se for postar algo a respeito, que mantenha meu anonimato: é impressionante ver você postando até hoje no seu novo blog e espero ansioso pela resposta!
Fica com Deus.

Dei um salto de contentamento e imediatamente respondi, confiando que a Palavra não volta vazia e garantindo que evito a exposição de “gente comum”, citando apenas nomes que já estão expostos na mídia.
Ainda no mesmo dia recebi o relato:

Boa noite, Teóphilo!
Confesso que acompanhei muito pouco o teu trabalho depois daquele nosso debate: atualmente sou desenvolvedor de sistemas e, ao fazer um estudo sobre “busca profunda no Google”, acabei encontrando aquele post antigo relacionado com meu e-mail.
Te digo que devorei aquele post novamente e foi incrível a sensação: parece que naquele ano de 2010 eu estava tendo um encontro com um “eu” do futuro, personificado pelo Teóphilo. Hoje dei uma lida no seu novo trabalho, continua excelente.

Em resumo: fui expulso de duas igrejas por me opor — em uma à “teologia da prosperidade” e, em outra, à “batalha espiritual”. Formei grupos de estudo, tive um movimento na faculdade, participei de uma igreja que era na rua (literalmente), fiz missões em interiores, missões urbanas… foi uma aventura!
Mergulhei de cabeça no estudo de teologias históricas, apologética, heresias históricas e contemporâneas, filosofia clássica e moderna… acho que esse foi meu “problema”, né?

Em 2010 eu era apenas um garoto no meu primeiro emprego, em busca de me encontrar espiritualmente. Atual e infelizmente não consigo mais participar do mundo gospel: o conhecimento, a forma de pensar, todo o amadurecimento e também sofrimento, que vários abusos emocionais que passei nesse meio me trouxeram, me marcaram e mudaram completamente.
Ver gente repetindo sempre as mesmas desculpas — “temos que orar por ele”, “Deus vai nos mostrar” — enquanto os pilantrões vão enchendo a bolsa de dindin, pregando e macaqueando qualquer coisa que esteja “bombando” na internet e na TV…
Há uma coisa escrita no seu “Sobre o Autor” — mesmo que as pessoas tenham uma profecia sendo esfregada em suas caras, não têm capacidade para interpretar e reconhecer o cumprimento dela — que é a mais pura verdade… e isso não é só com o evangelho, mas infelizmente com tudo, não é mesmo?
Mesmo que você exponha a verdade — sobre qualquer assunto, para qualquer um — se a pessoa já não quiser conhecer a verdade de antemão e não estiver aberta a recebê-la com humildade… é como dar pérola aos porcos!
Felizmente fui um porco que, após entender o valor das pérolas, pude perceber a lama na qual estava afundando e não gostei nada do que vi.

Vivemos um tempo de amarras, controle mental e físico, o mundo tem se tornado uma distopia Orweliana! Nosso Senhor já havia nos avisado.
A verdade é que qualquer instituição — seja política, religiosa, corporativa… — que consegue ser provada pelo tempo e aprovada pelas pessoas, acaba crescendo ao nível de se tornar como um animal vivo (um leviatã?) que sente fome e quer continuar crescendo!
A partir desse ponto, o único objetivo dessas entidades é a autopreservação: todas aquelas belas ideias iniciais se tornam meras fachadas para atrair novos membros visando sua própria adoração e consumindo nossas forças através dos sentimentos e dinheiro que depositamos nela: qualquer pessoa que for pega nesse ponto do caminho será inevitavelmente esmagada.

Poderíamos imaginar que isso não ocorreria com “igrejas”, mas (como você bem cunhou) estas se tornaram em “empresas eclesiásticas”, uma espécie de animal próprio onde os irmãos de agora passaram a ser meras células e sangue a serem absorvidos… e aqueles que se “rebelam”, que não “obedecem autoridade”, que não estão mais “debaixo de cobertura”, devem ser extirpados como células cancerosas!
Infelizmente os cristãos estão fazendo parte de organismos estranhos achando que estão no Corpo de Cristo… mas como julgar a maioria?
Nosso país está lotado de pessoas que não sabem interpretar um texto simples, mas com os mesmos anseios espirituais que qualquer um, juntando com pessoas espertas e ávidas por satisfazer ganância e poder.
Uma fórmula realmente explosiva e deplorável: qual a quantidade de psicopatas e estelionatários em cima de púlpitos e nos palanques do Brasil? Certamente incontáveis.

Devemos reviver o Behemoth que foi criado junto a Jó, que é a força da verdade e da piedade de Deus dentro de nós, e parar de achar que ser cristão é ser “carismático”, “gospel” e ter um monte de jargões e sub culturas que não têm apelo a mais ninguém, senão àqueles de nossa “seita”.
Que Deus nos guie a toda Justiça!

Muito obrigado por responder. E espero que você vá muito bem!

Se valeu a pena?
Certamente muito mais do que isso!
Tive a prova viva de que minha perspectiva baseada estritamente nas Escrituras foi suficiente para inspirar a formação de, nas palavras dele, outro Teóphilo!

E tenho certeza absoluta de que esse é o legítimo princípio do cristianismo genuíno: formar pessoas não para passar a vida inteira sob sua sombra — muito menos nutri-las com a expectativa de ter brilho próprio —, mas prepará-las até que alcancem a capacidade de, todos da mesma estatura espiritual, possamos viver e nos nutrir da única e verdadeira fonte de luz e vida, que a nós atualmente se apresenta como a Palavra de Cristo através das Escrituras.

CONCLUSÃO

Se mesmo constantemente expostas à Verdade as autoridades cristãs se corromperam, não é difícil de entender que, por todo o mundo, as autoridades seculares passaram a tramar praticamente de forma aberta para acelerar o estabelecimento do vindouro reino de Satanás.

Quando os justos se multiplicam, o povo se alegra;
o povo se aflige, quando o perverso governa.
(…)
Ai daqueles que promulgam leis iníquas,
e todos que elaboram decretos opressores,
a fim de privar os pobres dos seus direitos e evitar que os oprimidos do meu povo tenham pleno acesso à justiça,
transformando as viúvas em presas de suas ambições e despojando os órfãos!
(…)
Estamos cientes de que somos de Deus e que o mundo inteiro jaz no Maligno.

(Provérbios 29:2 / Isaías 10:1-2 / 1 João 5:19 – KJA)

Esta exposição e tudo o que escrevi no decorrer dos anos me permite afirmar que, apesar de não desrespeitar as autoridades civis, aprendi a reconhecer como autoridade única e suprema em minha vida o Senhor Jesus Cristo, cuja vontade é expressa apenas através de Sua Palavra revelada através das Escrituras e vulgarmente chamada de Bíblia: diante de versões fidedignas — e não das pestilentas corrupções modernas — aceito qualquer exortação.
Fora dela ou contra ela, nem mesmo as leis governamentais me obrigarão a agir.

Obrigado por ter lido até aqui e espero que reflita sobre o conteúdo apresentado: meu objetivo é a edificação do verdadeiro Corpo de Cristo e, justamente por isso, entendi que não devo sequer flertar com a corrupção pela perspectiva de me tornar mais um empresário eclesiástico.
Certamente existem outros homens com os quais podemos aprender e ser edificados e um deles, Mario Persona, publica textos extremamente interessantes: sem que nunca tenhamos sequer nos visto, eventualmente descubro nele grande concordância como, por exemplo, sobre este mesmo tema das autoridades, gostaria de complementar indicando “Devemos Obedecer Autoridade Humana Na Igreja?” e “A Obediência Aos Pastores É Incondicional?“.

MANIFESTAÇÃO ENERGÚMENA ANALFABÍBLICA

Se tivesse aberto minha própria empreja há 12 anos, provavelmente estaria bastante mais confortável financeiramente, mas a verdade é que só pude retornar a escrever porque terminou o período das declarações de imposto de renda e voltei a necessitar de qualquer colaboração que possa me oferecer: comentários, compartilhamentos e reações ajudam a divulgar este conteúdo que foi produzido com intenção de colaborar para a edificação do Corpo de Cristo no mundo.
Um link encurtado e de fácil memorização para essa postagem é:

https://cutt.ly/autoridades

Desejando colaborar financeiramente com qualquer valor, minha chave PIX principal é [email protected] e essa imagem é do meu QR code: meu nome é Geovane Ignácio de Souza, o trecho do CPF a aparecer deve ser o “927.157” e a instituição financeira é o Nubank.

Sei bem que em mim não há valor algum, por isso dedico meu tempo a pesquisar e escrever, sempre tentando comparar tudo às Escrituras: o que de graça recebi, de graça também compartilho…
Infelizmente há fatores envolvidos nesse processo que geram custos e, na realidade, eu próprio e minha família precisamos sobreviver: peço que considere a possibilidade de, através do Paypal, colaborar mensalmente com pelo menos R$ 15,00.
Atualmente não tenho nenhum colaborador, mas se 40 pessoas se propusessem a ajudar com esse valor mínimo, ao menos os gastos com energia elétrica e internet seriam cobertos.

Por mais que queira, destaco que não tenho em mim mesmo a menor capacidade de forçar o Pai a te abençoar por causa disso, mas oro a Ele pedindo para que, no tempo correto e na medida multiplicada, retribua a bondade realizada da forma mais adequada: seja através de livramentos ou de diversas bênçãos possíveis.

Parafraseando o apóstolo Paulo em Efésios 6: 23-24: que a graça e a paz sejam conosco, todos os que amam a nosso Senhor Jesus Cristo em sinceridade, hoje e para todo o sempre!

Ficou querendo ver melhor a imagem de abertura?

Por favor, compartilhe
para alcançar mais pessoas!

Notificação De Postagens Por E-mail

Em 04 de outubro de 2021 algumas das maiores redes sociais passaram horas desligadas.
Há rumores de que um “GRANDE APAGÃO” será sucedido por OPRESSIVO CONTROLE SOCIAL virtual.
Não posso prever o real impacto, mas, caso seja possível, continuarei estudando e publicando sobre as Escrituras: inscreva-se para, a partir da próxima, receber notificação em seu e-mail a cada nova publicação n’O Pior Evangelho.

(CASO NECESSÁRIO, OPORTUNAMENTE SERÁ ENVIADO CONTEÚDO INTEGRAL)

OUTROS TEXTOS DO MESMO AUTOR

Subscribe
Notify of

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Teóphilo Noturno
Teóphilo Noturno
A Verdade, assim como um remédio, pode até ser amarga... mas é o único caminho para a salvação.

PROJETO RESGATE

plugins premium WordPress
0
Would love your thoughts, please comment.x
O PIOR EVANGELHO ONLINE
PRECISA MUITO DE SUA AJUDA

Em mim não há valor algum e tem sido uma honra pesquisar e elaborar conteúdo com base nas Escrituras, só que expor a ruptura entre a Igreja de Cristo e as empresas eclesiásticas não me torna querido por comerciantes da fé.
Não tenho expectativa de ser convidado para palestrar, ficando sem qualquer fonte de custeio para este trabalho que, por sinal, disponibilizo gratuitamente há mais de uma década.
O que de graça recebi, de graça também compartilho…

Infelizmente, nesse processo, há fatores que geram custos e, real e sinceramente, eu próprio e minha família precisamos sobreviver: por favor, considere a possibilidade de, através do Paypal, colaborar mensalmente.
Hoje conto com UM COLABORADOR, mas se 40 pessoas se propusessem a ajudar com R$ 15,00, ao menos os gastos com energia elétrica e internet seriam cobertos.

Perdão por esta incômoda janela, mas, como não minto, creio que esse apelo é a melhor forma de expor as dificuldades pelas quais estou passando e pedir auxílio sem incomodar tanto: aos que NÃO QUISEREM COLABORAR, basta fechá-la que, ainda assim, o conteúdo integral do site permanecerá disponível.
Obrigado!

PIX
TRANSFERÊNCIAS

BANCO: 0260 (NU PAGAMENTOS S/A)
AG: 0001  / CC: 4056479-5
Geovane I Souza
CPF: •••.927.157-••

PAYPAL
PIX
TRANSFERÊNCIAS

BANCO: 0260 (NU PAGAMENTOS S/A)
AG: 0001  / CC: 4056479-5
Geovane I Souza
CPF: •••.927.157-••

PAYPAL