Skip to content Skip to footer

Possessões (Parte Dois)

Além do Modelo Clássico, Corações e Mentes!

É dessa parte em diante que, como se diz, “a porca torce o rabo”, pois muitos falsos cristãos covardes, mundanos e preguiçosos absorveram os famosos clichês “não devemos julgar” — contra o qual já registrei refutação com tão sólida base bíblica que até hoje não foi contestada (talvez também por conta do desafio registrado no final…) — e o “só o Senhor vai separar o joio do trigo”, com direito até a uma passagem explicativa:

Ele, porém, lhes disse: Não;
para que, ao colher o joio, não arranqueis também o trigo com ele.
Deixai crescer ambos juntos até à ceifa;
e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros:
Colhei primeiro o joio, e atai-o em molhos para o queimar;
mas, o trigo, ajuntai-o no meu celeiro.

(Mateus 13:29-30)

O trecho acima faz referência única e exclusivamente ao dia da colheita, ou seja, quando será dado o destino àqueles que forem joio, porém não há proibição para que, enquanto estão crescendo, não se possa fazer a distinção entre ambos: joio é joio; e trigo… é trigo!!!
Aliás, antes de prosseguir, uma questão: Você leu a PRIMEIRA PARTE?

O joio se beneficia da existência do trigo e lhe seria um grande lucro caso um dia pudesse se transformar nele, já o grão de trigo necessita de água, luz… elementos aos quais nunca terá acesso se envolto nos tufos da erva daninha que mimetiza sua forma nos estágios iniciais, correndo o risco de não se desenvolver corretamente e, no final das contas, até mesmo ser lançado fora junto com ela na hora da colheita!

Isto posto, fica óbvio que é muito mais importante ao “cristão trigo” reconhecer o imprestável joio para, em prol de sua sobrevivência espiritual, poder aplicar as recomendações bíblicas acerca da separação que deve ser mantida entre os que se dizem irmãos sem que o sejam!

Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador;
com o tal nem ainda comais.

(1 Coríntios 5:11)

Um dos sinais mais evidentes de que estamos lidando com joio é quando ouvimos aquele testemunho de alguém que se “converteu” ouvindo alguma dessas musiquinhas gospel que nada têm do verdadeiro evangelho, ou seja: de acordo com a Bíblia (e não com a minha pessoa) não existe fé genuína cuja origem não seja a partir do “ouvir a Palavra de Deus”!!!
São pessoas cuja fraseologia soa como cristã, mas cujo comportamento acaba revelando o total desconhecimento da palavra, sendo capazes de defender doutrinas vazias de respaldo bíblico apenas pela aparência de bondade e, além de tudo, covardes, maldizentes, possivelmente místicas e até mesmo profanas.
Geralmente a fé de tais pessoas está depositada em seu “guru” (pastor, cantor, apóstolo…), em sua denominação, na música que a “convenceu” … ou até no dedo mindinho de seu próprio pé! Qualquer coisa, menos no verdadeiro Senhor Deus que apenas se revela integralmente através de Sua Palavra!!!
A Bíblia é bem clara sobre esses:

Olhai por vós mesmos, para que não percamos o que temos ganho,
antes recebamos o inteiro galardão.
Todo aquele que prevarica, e não persevera na doutrina de Cristo,
não tem a Deus.
Quem persevera na doutrina de Cristo,
esse tem tanto ao Pai como ao Filho.
Se alguém vem ter convosco, e não traz esta doutrina,
não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis.
Porque quem o saúda tem parte nas suas más obras.

(2 João 1:8-11)

Diante disto, fica óbvio que essas tantas musiquinhas gospel manipuladoras de emoção, mas vazias da genuína Palavra e cantadas até em parceria com infiéis nunca — em hipótese alguma! — podem ser classificadas como “pregação do evangelho”, pois a maioria não passa de falsas promessas: egocêntricas, humanistas, rejudaizantes… cujo objetivo maior é apenas gerar lucros para os envolvidos nessa estrutura comercial e, como efeito colateral, aumentar o público consumidor através da proliferação desse falso evangelho — fermento que multiplica o joio — característico da apostasia profetizada.

POSSESSÃO EMOCIONAL

Destaco que ao longo desse estudo o termo “possessão” é aplicado no sentido de “controle”, ou seja, não necessariamente uma referência direta à “canalização”.
Outro detalhe relevante é que nem mesmo são necessários rituais religiosos ou evidente atuação demoníaca para que isso ocorra: basta a manipulação emocional do alvo, seja apenas um indivíduo ou toda uma plateia.
Um exemplo de ferramenta utilizada para isso são algumas músicas especialmente criadas para induzir o público a embarcar numa verdadeira “montanha russa” de sensações que podem variar da “alegria eufórica”, passar pelo “triunfalismo injustificado” e, geralmente, alcançar seu ápice com o “quebrantamento vazio” (a saber, aquele onde não há verdadeiro arrependimento pelo pecado, mas se chora por coisas absurdas como “os pecados da nação” — coisa particularmente inútil e desnecessária, pois cada um dará contas de si mesmo… — ou a entrega de falsas profecias).

A primeira vez em toda a minha vida que admiti a possibilidade de estar vendo “cristãos” possessos por espíritos demoníacos foi no início de 2006, ao assistir o tenebroso DVD “Nos Braços do Pai” e testemunhar a idolatrada Ana Paula Valadão demonstrando diversas formas de possessão através de vídeos contidos na análise — atualmente fora do ar — “Afogando-se na Lagoinha”.
Em determinado momento do vídeo aquela mulher se ufana de estarem mais de um milhão de pessoas presentes naquele ritual estranho, fator que potencializa o nível de influência emocional, pois para permanecer impassível no meio de tanta gente se debulhando em lágrimas se faz necessário muito conhecimento bíblico e discernimento.

Os arranjos harmônicos, as frequências sonoras — principalmente os graves capazes de fazer vibrar a caixa torácica tal qual um estimulador— e, principalmente, a desnecessária voz chorosa da vocalista são alguns dos recursos “sujos” utilizados no processo de dominar a mente da plateia pelas sensações, subjugando qualquer razão ou resistência e permitindo enfiar qualquer teologia espúria que inventarem goela abaixo: é tanto choro manipulado e emocionalismo que ninguém mais ali é capaz de pensar!!!

Alguns dirão: “Ora… não importa o emocionalismo desde que ali ocorram conversões!!”
Quem afirma isso já revela que pode estar enquadrado na próxima categoria de possessão desse estudo, pois, em nome do “resultado”, é capaz de ignorar a essência da própria Palavra de Deus, que é taxativa:

Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá;
porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós;
mas, quando eu for, vo-lo enviarei.
E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo.

(João 16:7-8)

O destaque dessa passagem está no exclusivíssimo papel desempenhado pelo Espírito Santo — o mesmo que só pode ser recebido por aqueles que creem — que é o de convencimento, ou seja: ao afirmar isso, pouco lhes importa que uma multidão tenha sido “convencida” por gritante manipulação emocional sem SEQUER TER PASSADO NEM PERTO DO ESPÍRITO SANTO!!!

O vídeo é antigo e, de lá para cá, as coisas apenas pioraram: não apenas esse grupo se torna cada vez mais alinhado aos que servem abertamente a Satanás, mas praticamente quase todas as empresas eclesiásticas passaram a se utilizar de semelhantes trilhas sonoras de manipulação emocional na “hora do apelo”…
De qualquer forma, fica aqui o registro dessa prática que nada tem de Deus, mas é perfeita aos propósitos demoníacos de fazer proliferar o joio: estejam atentos e resistam ativamente sempre que perceberem que estão sendo conduzidos a se entregar às emoções.

Este é um tipo de manipulação predominantemente evangélico, porém é bom deixar bem claro que tais técnicas são ainda mais ampla e imoralmente praticadas como estímulo (principalmente ao consumo) por toda a mídia secular e já vi sendo utilizada até por empresas de marketing multinível: isso poderá estragar até a espontaneidade da emoção que você costuma sentir ao assistir um filme, mas certamente nunca mais terá dúvida de quando estão tentando te manipular!

POSSESSÃO INTELECTUAL

Essa é a forma de possessão mais difícil de ser identificada e combatida, pois nem sempre requer que o indivíduo esteja “canalizado”, principalmente porque caso alguns possessos nessa modalidade se manifestassem do “modo clássico”, poderiam pôr a perder toda uma estratégia de dominação satânica construída através dos tempos.

Sem dúvida, muitos pseudocristãos intelectualmente possessos não têm consciência disso e, ainda por cima, atuam causticamente em defesa de doutrinas insustentáveis, baseando-se em “máximas” sem respaldo bíblico e até mesmo enganos desnecessários.
Levando em conta a ilustração do muro, podemos afirmar que não existe “neutralidade”: ou se está verdadeiramente servindo a Deus… ou não!

Isso significa que há muitos vivendo na ilusão de estar seguindo ao Senhor Jesus Cristo enquanto, na verdade, apenas cumprem o lamentável papel de ser joio no meio do trigo… fermento que faz a massa crescer sem real conteúdo!
Entre os tais podemos destacar os “simpatizantes” do evangelho, os netos de Deus, os analfabíblicos, os muitos (e já citados) da legião de energúmenos, os mortos-vivos… já tive oportunidade de lidar com todos esses tipos: parecem estar envolvidos com alguma forma de evangelho, mas recusam o sólido alimento — que é a Palavra — e preferem viver comendo “nuggets” espirituais.

Aliando o conhecimento dessas duas “novas” modalidades de possessão — emocional e intelectual —, a seguir vamos relacionar alguns dos mais típicos sinais daqueles que, se afirmando irmãos, ou estão em franca rebeldia ou NÃO TÊM O ESPÍRITO SANTO habitando em si.

SÓ MALUCO NÃO PODE SER CONTRARIADO

Nessa mais de uma década em que me dedico à publicação de artigos, ao menos dois tipos comuns de perfil se destacaram por sua capacidade de incorrer nesta prática:

  1. Aqueles que vivem de “clichês bíblicos”, não conhecendo o suficiente da Palavra de Deus para poder sustentar sua fé;
  2. Aqueles que até conhecem a Palavra de Deus, mas deixaram de crer tanto nela quanto em Deus, passando a lucrar com a ignorância daqueles sobre quem exerce domínio.

Ambos os grupos demonstram completa aversão à palavra “EXORTAÇÃO”, como se o ato de exortar fosse antônimo superlativo da palavra “AMOR” e comparável às torturas da inquisição…
Há ainda o absurdo de que, para esse tipo de gente, mesmo que apresentemos a Bíblia clara e cronologicamente citada, o ato de exortar desqualifica aquele que o pratica — sempre se utilizam dos expedientes: “em vez de criticar deveria estar orando pela pessoa” ou “fica falando mal ao invés de ir pregar o evangelho”…
Poderíamos pensar que tais comportamentos poderiam evidenciar apenas um “baixíssimo nível intelectual” de seus defensores, porém surpreendentemente encontramos muitas pessoas de nível superior envolvidas na promoção da mesma ladainha, não nos restando alternativa senão classificá-los como “intelectualmente possessos”: pessoas que, tais quais alguns equinos, são aparelhadas com antolhos para que não possam enxergar as reais dimensões da situação atual.

Certa vez fui “confrontado” por alguém que apresentou apenas um dentre todos os verbetes constantes no dicionário para o verbo “exortar” como justificativa para sua “amorosa” complacência, me repreendendo seriamente por apresentar e condenar o pecado… sem atentar que na lista ainda constam os termos ADMOESTAR e ADVERTIR para validar a exortação “desconfortável” que deve ser feita aos que, a despeito da juventude, se portam de forma inconveniente ou pecaminosa… isso é BÍBLICO:

exortar

1. Animar, incentivar, estimular: exortar os jovens a prosseguir sem desânimo.

2. Induzir, conversar.

3. Advertir, admoestar, aconselhar

Aurélio

E já vos esquecestes da exortação que argumenta convosco como filhos:
Filho meu, não desprezes a correção do SENHOR,
E não desmaies quando por ele fores repreendido;
Porque o Senhor corrige o que ama,
E açoita a qualquer que recebe por filho.
Se suportais a correção, Deus vos trata como filhos;
porque, que filho há a quem o pai não corrija?
Mas, se estais sem disciplina, da qual todos são feitos participantes,
sois então bastardos, e não filhos.

(Hebreus 12:5-8)

Resumindo: aqueles que agem em nome de um “amor” permissivo, na verdade não reconhecem, não admitem e estão em rebelião contra a íntegra da Palavra na qual alegam crer, mas apenas fingem obedecer!
O mais engraçado é que há muitos como ela que conseguem ser seletivos, criticando um tipo de pecado e fingindo não ver outros: adultério, por exemplo, é tão pecado quanto a homossexualidade…
Essa é uma verdadeira exposição prática da parábola da remela no olho alheio!
Não resta dúvida que esse “amor” defendido por tais pessoas nunca teve nada em comum com o verdadeiro amor bíblico, a saber:

E, se invocais por Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo a obra de cada um,
andai em temor, durante o tempo da vossa peregrinação,
Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais,
Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado,
O qual, na verdade, em outro tempo foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado nestes últimos tempos por amor de vós;
E por ele credes em Deus, que o ressuscitou dentre os mortos, e lhe deu glória, para que a vossa fé e esperança estivessem em Deus;
Purificando as vossas almas pelo Espírito na obediência à verdade, para o amor fraternal, não fingido; amai-vos ardentemente uns aos outros com um coração puro.

(1 Pedro 1:17-22)

Eis aí: AMOR NÃO FINGIDO em obediência à Verdade…
Querer discutir com isso é atestado de possessão intelectual.

CONTROLE REMOTO PELA INÉRCIA

Deus está no controle!
Essa é outra das frases preferidas pelos intelectualmente possessos, sendo utilizada na intenção de fazer parar ou calar quem, como eu, expõe algo de errado…
Ora, a Bíblia inteira deixa BEM CLARO que o Senhor Deus está no controle de ABSOLUTAMENTE TUDO, mas ainda assim:

  • A Arca não caiu prontinha, do céu, no colo de Noé!!!
  • Do mesmo modo Josué necessitou passar por todo um processo — exclusivo para ele e seus companheiros naquela época, ridículo e aberrante em qualquer outra tentativa de ser reproduzido! — até derrubar as muralhas de Jericó.
  • Igualmente José precisou ser vendido como escravo até chegar a um cargo significativo…
  • E até o apóstolo Paulo teve que, passando pelos mais diversos tipos de sofrimento, fazer viagens para EXPOR E ACUSAR erros!

Conjuntamente há aqueles cujo argumento imperativo é que “devemos orar ao invés de acusar”, como se Paulo tivesse ficado calado diante das heresias de Himeneu, Alexandre e Fileto…

IMAGEM DE ABERTURA DA PUBLICAÇÃO ORIGINAL, EM 18/01/2012

Este mandamento te dou, meu filho Timóteo,
que, segundo as profecias que houve acerca de ti, milites por elas boa milícia;
Conservando a fé, e a boa consciência,
a qual alguns, rejeitando, fizeram naufrágio na fé.
E entre esses foram Himeneu e Alexandre,
os quais entreguei a Satanás,
para que aprendam a não blasfemar.

(1 Timóteo 1:18-20)

Procura apresentar-te a Deus aprovado,
como obreiro que não tem de que se envergonhar,
que maneja bem a palavra da verdade.
Mas evita os falatórios profanos, porque produzirão maior impiedade.
E a palavra desses roerá como gangrena;
entre os quais são Himeneu e Fileto;
Os quais se desviaram da verdade, dizendo que a ressurreição era já feita,
e perverteram a fé de alguns.

(2 Timóteo 2:15-18)

Notem que Himeneu foi citado DUAS VEZES por suas graves heresias… devia ser o equivalente, na época, ao pessoal da Lagoinha, ao Caio ou ao Macedo!
Resumindo: até essa turma do “deixa disso” gospel também demonstra, através de frases como essa, total ignorância da Palavra e plena aquiescência com a prática dos pecados e deturpações…

Há momento de oração e há momento de ação: o que falta nessa corja de falsos cristãos de nossos dias — a maioria dos crentes evangélicos gospel — é coragem e, principalmente, discernimento!
Em momento algum a Bíblia manda ficarmos inertes diante da profanação do verdadeiro evangelho… pelo contrário:

Conjuro-te, pois, diante de Deus,
e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu reino,
Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina.
Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina;
mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências;
E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas.
Mas tu, sê sóbrio em tudo,
sofre as aflições,
faze a obra de um evangelista,
cumpre o teu ministério.

(2 Timóteo 4:1-5)

Aqueles que promovem a defesa do evangelho através da inércia certamente gostariam de impor que até Paulo e Timóteo “descansassem confiando no sinhô”…
E isso ou é a mais pura e completa ignorância bíblica… ou atestado de possessão intelectual!

ALARGANDO A PASSAGEM

Tudo começa com a interpretação errônea — por parte de 99% da humanidade — do episódio do apedrejamento da mulher adúltera e sobre o qual — sabendo que o Senhor Jesus impediu o massacre — levanto as seguintes questões:

  • Jesus, em algum momento, disse que adultério não é ou deixou de ser pecado?
  • Jesus, em algum momento, mandou que as pessoas ali presentes, em vez de apedrejar, deveriam, assim como a mulher, adulterar?
  • Jesus, em algum momento, fez diferenciação de pecados?
  • Jesus, depois de livrar a cara da sem vergonha, disse que ela poderia sair dali e continuar praticando suas safadezas?

A resposta para todas as questões acima é NÃO!!!
Porém as pessoas, principalmente as que mais “devem no cartório”, manipulam a verdadeira lição desse episódio para poder continuar pecando tanto quanto queiram, citando o livramento do perdão como pretexto da sarcástica frase “ninguém pode me julgar”!!
As ideologias vermelhas e seus adeptos adoram esse raciocínio e agem exaustivamente dessa forma, principalmente diante de qualquer reprimenda aos que se prostituem ou fazem uso não natural do corpo!

Para acabar de uma vez por todas com essa deturpação aplicada à moral da história, vou transcrever e grifar apenas o resumo:

E disse-lhe Jesus:
Nem eu também te condeno;
vai-te, e NÃO PEQUES MAIS.

(João 8:11b)

Há uma grande probabilidade de que não, porém não está revelado na Bíblia se aquela mulher voltou ou não a pecar. Enquanto isso o restante da humanidade preferiu ignorar a ordem contra o pecado e tirar daí uma falsa ideia de que “liberou geral”: todo mundo pode pecar à vontade e tudo será automaticamente perdoado!

Tal situação pode ficar ainda mais complicada diante da terrível ideia que têm alguns sobre poder carregar sobre si próprios os pecados do maior número de pessoas que conseguir.
Já falei um pouco sobre isso em “Os Netos de Deus”, mas muitos — sendo incapazes de manter seus filhos no caminho do Senhor e por conta de seu comportamento e práticas condenáveis — optam por se calar diante da imoralidade alheia, se tornando coniventes e passando a aceitar como “normais” todos os pecados, especialmente os cometidos pela “juventude”!
Ora, a juventude que tiver seus pecados aceitos vai permitir atitudes ainda mais aberrantes de seus descendentes e, na verdade, essa é uma prática que vem se perpetuando há não posso dizer quantas gerações!!!
A Bíblia, por incrível que pareça, já nos advertia quanto a isso:

Não removas os antigos limites que teus pais fizeram.

(Provérbios 22:28)

Por isso, rejeitando toda a imundícia e superfluidade de malícia, recebei com mansidão a palavra em vós enxertada, a qual pode salvar as vossas almas.
E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos.
Porque, se alguém é ouvinte da palavra, e não cumpridor, é semelhante ao homem que contempla ao espelho o seu rosto natural;
Porque se contempla a si mesmo, e vai-se, e logo se esquece de como era.
Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecidiço, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito.

(Tiago 1:21-25)

Ou seja: se não reconhecermos e chamarmos claramente o pecado de pecado, vamos transformar o que deveria ser a Igreja em um templo de culto ao próprio Satanás!!!

Na verdade… isso já aconteceu.
Fiquei bastante surpreso quando me apresentaram as manifestações da filha de um famoso apologeta brasileiro em prol da satânica equipe do Diante do Trono… como se houvesse algum evangelho sendo pregado por eles em suas relações íntimas com os filhos de satanás.
Aliás, o “evangelho” apresentado por eles é tão “poderoso” que o apresentador do programa em que foram “pregar” fez questão de até ir colocar barquinhos no mar para Iemanjá…

Mas triste mesmo eu fiquei quando soube que, em pleno culto da manhã de domingo, esse mesmo apologeta, de quem até indiquei livros, foi capaz de qualificar a arrecadação insuficiente para aquisição de um novo edifício eclesiástico como se fosse a ocorrência de uma tragédia…
Não sei classificar tais episódios em relação a ele, mas que vislumbrei a possessão intelectual completa em sua filha — talvez consequência de ter sido, em nome de um amor permissivo, conduzida por um caminho mais largo — …isso não posso negar.

ALTARES DE PERFEIÇÃO

Outra incapacidade claramente demonstrada pelos intelectualmente possessos é a de discernir entre a perfeição da Palavra e as falhas humanas, ou seja, entre a obra e a pessoa, inflamando-se constantemente sem discernir a diferença entre uma exortação para a salvação e uma crítica destrutiva.
Parecendo bastante, mas diferente dos ataques “Ad Hominem”, é muito comum encontrarmos esse tipo de expressão dentre as manifestações equivocadas de fãs:
Alegam que “você chamou fulano de lixo” quando a verdade seria expressa pela frase “você chamou a mensagem que fulano pregou de lixo”;
Criam animosidade ao afirmar “você falou mal de tal grupo” quando, diante do que realmente ocorreu, deveriam registrar “você demonstrou que a música de tal grupo não está de acordo com a Bíblia”;

São pessoas que, querendo ser tão “amorosas” e protetoras, se ressentem ao ver seus ÍDOLOS sendo EXORTADOS por deturpar a Palavra de Deus, ou seja, por terem tornado a Verdade em mentira: enxergam sempre e apenas o SER e nunca AS MÁS OBRAS, se tornado incapazes de raciocinar que “boas pessoas” — como João Paulo II, Madre Teresa de Calcutá, Chico Xavier, Benny Hinn, Ana Paula Valadão… — podem pregar mensagens de teor altamente satânico.
Não está escrito que até o próprio Satanás se faz passar por “anjo de luz”?

Da mesma forma, alguém que expressa a Verdade e contraria o acolhimento automático e sem julgamento que tais pessoas dão a qualquer conteúdo produzido por seus ídolos pode estar sendo verdadeiramente mais amoroso que toda a multidão que paga pela mentira e a engole avidamente, sem reclamar, questionar ou ser capaz de discernir que naquele angu há muito mais do que caroço…
Será que todo fã pode ser considerado um idólatra?

Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos,
a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre;
o que é a segunda morte.

(Apocalipse 21:8)

Prestem bastante atenção, pois tanto IDÓLATRAS quanto MENTIROSOS, serão condenados ao inferno caso não reconheçam e se arrependam por suas práticas…
Mas, não posso deixar de registrar que, geralmente junto a esse tipo de manifestação, costuma aparecer uma frase absurda e repetida exaustivamente: não toqueis em…

OS UNTADOS DO SINHÔ

Venho usando esse termo, “untados do sinhô”, há algum tempo: quero todos os direitos autorais sobre ele e vou aproveitar esta postagem para explicar melhor sua aplicação: qualquer crente que venha — em relação à exortação que DEVE ser aplicada a QUALQUER CRISTÃO — com aquele famoso papo de “não toqueis no ungido do Senhor”, está demonstrando, de cara, que é um completo analfabíblico, pois na Bíblia inteira esse “tocar” ao qual se referem é (e sempre foi) sinônimo para AGRESSÃO FÍSICA!

Essa questão já foi bem explicada em vários lugares, mas espero um dia poder recuperar o “Sacerdotalismo”, texto que publiquei para ser bastante esclarecedor nesse sentido.

Outro ponto gravíssimo é que, ao desejar tornar qualquer pessoa em seu intercessor pessoal diante de Deus, se está renegando a própria herança que foi deixada aos cristãos, conforme registrado:

E da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dentre os mortos e o príncipe dos reis da terra.
Àquele que nos amou, e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados,
E nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai;
a Ele glória e poder para todo o sempre.
Amém.

(Apocalipse 1:5-6)

Ainda temos a importante questão de que a “unção com óleo” não presta para mais nada de cunho espiritual a nós, gentios, assim como essa moderna profusão das mais inimagináveis formas de “unção” acaba indicando apenas possessão demoníaca…
Fora o fato de que tocar em um ser como esse energúmeno da foto é simplesmente nojento… mesmo tendo sido ele que me inspirou a escrever “untado do sinhô”, pois, melado desse jeito, está devidamente untado e pronto para, como nas receitas culinárias, ser levado ao fogo…
E, caso não se arrependa verdadeiramente de seu misticismo e passe a pregar a verdadeira Palavra de Deus… será muito bem cozido, juntamente com o diabo e seus anjos!

Além da lubrificação, essa qualidade de criaturas também gosta de se exibir falando enrolado, porém esse ato só receberá a devida análise bíblica na próxima parte: não perca!

Aqui quem escreve é o velho Teóphilo Noturno e prossigo, contra todas as adversidades, com meus informes atualizados e consolidados, tentando alcançar — nas noites de terças e quintas — unidades desorientadas e até, talvez, atualmente sob domínio do inimigo.
Ao conteúdo que produzo chamo d’O Pior Evangelho do Mundo e sinceramente espero que essa publicação tenha promovido reflexão e colaborado para sua edificação: sempre busco exclusiva e sólida base bíblica, sendo totalmente desvinculado de qualquer franquia de empresas eclesiásticas ou emprejas em particular.

Em 2018 o Senhor permitiu que a surdez me tocasse e, a despeito de minha fé e todos os esforços pessoais que realizei, as necessidades cotidianas e as contas não cessam, colocando a mim e minha família em sérias dificuldades financeiras, especialmente após a morte de minha mãe.
Diante disso, não me envergonho ao pedir seu auxílio para suprir necessidades diversas que vão de comida e remédios até custeio de domínio e hospedagem.

NÃO É SUA OBRIGAÇÃO me ajudar, mas tenha certeza de que qualquer doação efetuada irá proporcionar não apenas recursos materiais, mas também tempo para me dedicar a estudar, escrever e produzir conteúdo ainda mais relevante para a edificação dos leitores.

Compartilhar as publicações já ajuda, mas tendo recursos e desejando colaborar financeiramente — com qualquer valor! — minha chave PIX principal é [email protected] e essa imagem é meu QR code: o nome de confirmação é Geovane Ignácio de Souza e o trecho do CPF a aparecer deve ser o “927.157“, sendo realizada uma movimentação destinada ao Nubank

Destaco que, por mais que queira, não tenho em mim mesmo a menor capacidade de forçar o Pai a te abençoar por sua generosidade, mas oro a Ele pedindo que, no tempo certo e na medida multiplicada, retribua a bondade realizada da maneira mais adequada: não apenas na restituição multiplicada do valor doado, mas também através dos mais diversos livramentos e bênçãos que, em minha limitação humana, sequer posso imaginar antecipadamente, mas que já estavam nos planos do Todo-Poderoso Deus desde antes da fundação do mundo.

Confesso que estremeço e me emociono a cada doação que recebo, pois o Senhor tem movido corações para me permitir dedicar tempo a realização de publicações como essa: a honra por tamanha responsabilidade só é menor que o temor que sinto para que minha mente sempre esteja cativa à Verdade… que liberta!
Rogo ao Pai que mantenha vivo em meu coração esse amor verdadeiro que me move a compartilhar a Palavra com pessoas que ainda nem sabem o quanto precisam dela: minhas palavras até podem ser duras, mas meu desejo é que sirvam para abrir os olhos de muitos com quem vou poder me encontrar na eternidade.


Parafraseando o apóstolo Paulo em Efésios 6: 23-24: que a graça e a paz sejam conosco, todos os que amam a nosso Senhor Jesus Cristo em sinceridade, hoje e para todo o sempre!

Ficou querendo ver melhor a imagem de abertura?

Esse texto te edificou? Fez refletir?
Por favor, curta e compartilhe
para que alcance mais pessoas!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no tumblr

OUTROS ESTUDOS DO MESMO AUTOR

1 Comment

  • Jose
    Posted 29 de dezembro de 2020 at 10:56

    Obrigado por texto tão esclarecedor. Li tambem os netos de Deus e simpatizanres do evangelho. Edificante.

Leave a comment