Skip to content Skip to footer

Os Mecanismos Malignos

E Porque Muita Gente Não Vai Assistir…

O ano era 2009 e eu, estático na cadeira, assisti a um dos documentários mais chocantes que jamais havia visto: Lenon Honor simplesmente jogou “The Workings of Evil” na cara de alguém que até então não havia se dado conta do quão minuciosa pode ser a manipulação de uma música “inocente” que, muito além das chamadas “mensagens subliminares”, é capaz de mostrar mensagens assustadoras de forma direta, sem sequer se preocupar em ocultar a sua fonte de inspiração…

Fiquei tão atordoado e entusiasmado que entrei em contato com ele e solicitei o script original para poder realizar a tradução e legendar toda a série para o português, coisa que fiz, quase ininterruptamente, em menos de dois dias.
Na sequência fui fazendo os ajustes de tempo e, conforme completava  10 minutos de vídeo, publicava logo no YouTube.

As 21 partes do documentário foram um sucesso estrondoso e isso, infelizmente, só durou até o momento em que os donos dos direitos autorais foram irredutíveis ao mandar remover o conteúdo sem sequer considerar a hipótese do “uso aceitável“: o objetivo nunca foi lucrar em cima de uma música de conteúdo tão sinistro, mas apenas apresentar uma análise minuciosa de tudo que se agrega a essa obra musical.
Fiquei triste, mas… deixei pra lá.

SENDO OBJETIVO

Desde 2018 tinha aspirações de concentrar tudo o que produzi em um único site e havia encontrado a pasta com… “Os Mecanismos Malignos”!!!
É claro que fiquei muito querendo assistir tudo de novo, mas também quero poder tentar, de novo, compartilhar esse conhecimento aterrador com todos aqueles que se interessarem!

Cada arquivo original tinha quase 1Gb, mas estavam separados das legendas e, para evitar levar um bloqueio logo de cara, encontrei um outro site de vídeos que, inclusive, permite oferecer vídeos por assinatura.
Fiz meu registro gratuito e imediatamente já tive a primeira decepção: sem pagar, só se pode fazer upload de 500Mb por semana… ou seja, nem seria possível subir a primeira parte inteira com a qualidade original!

Abri meu conversor de mídia e reduzi o tamanho para 1/4 do original e, de quebra, mandei incorporar a legenda e e aproveitei para adicionar uma marca d’água.
Resultado:

Fiz o upload do arquivo e, sinceramente… até dá para assistir.
Vou disponibilizar aqui para que possam começar a entender o peso desse conhecimento, mas preciso falar bem sério com você, caro leitor: além de todo o trabalho e mão de obra, não vou ter condições de pagar para que vocês possam ver as outras partes e vou precisar de vossa colaboração.
A próxima imagem mostra o custo dos planos (em dólar):

Ora, ao contrário daqui do WordPress (onde vejo necessidade de adquirir o plano Business assim que possível), o plano “Plus” já seria bastante satisfatório, porém a cobrança não é de apenas sete dólares: eles cobram logo por um ano!

Agora, no final de 2020, numa taxa de conversão de 5,50 reais para cada dólar, a brincadeira não sai por menos de 462 reais!!
Isso está absolutamente fora da minha realidade: não posso tirar comida da boca dos meus filhos…
Atualmente a segunda e a terceira parte estão salvas, mas presas em um dos HD’s do computador com placa-mãe defeituosa de meu escritório: um dia espero poder reacessar e subir tudo com qualidade boa, mas talvez, para isso, tenha de cobrar um “ingresso” — algo entre 5 e 10 reais — para liberar a senha de acesso. Que tal?

Então vou deixá-los com a primeira parte (duração superior a uma hora, porém em baixa qualidade) d’Os Mecanismos Malignos e a missão de sugerir soluções — os comentários estão abertos no final da página! — para que esse impasse financeiro possa ser superado.

Aqui quem escreve é o velho Teóphilo Noturno e prossigo, contra todas as adversidades, com meus informes atualizados e consolidados, tentando alcançar — nas noites de terças e quintas — unidades desorientadas e até, talvez, atualmente sob domínio do inimigo.
Ao conteúdo que produzo chamo d’O Pior Evangelho do Mundo e sinceramente espero que essa publicação tenha promovido reflexão e colaborado para sua edificação: sempre busco exclusiva e sólida base bíblica, sendo totalmente desvinculado de qualquer franquia de empresas eclesiásticas ou emprejas em particular.

Em 2018 o Senhor permitiu que a surdez me tocasse e, a despeito de minha fé e todos os esforços pessoais que realizei, as necessidades cotidianas e as contas não cessam, colocando a mim e minha família em sérias dificuldades financeiras, especialmente após a morte de minha mãe.
Diante disso, não me envergonho ao pedir seu auxílio para suprir necessidades diversas que vão de comida e remédios até custeio de domínio e hospedagem.

NÃO É SUA OBRIGAÇÃO me ajudar, mas tenha certeza de que qualquer doação efetuada irá proporcionar não apenas recursos materiais, mas também tempo para me dedicar a estudar, escrever e produzir conteúdo ainda mais relevante para a edificação dos leitores.

Compartilhar as publicações já ajuda, mas tendo recursos e desejando colaborar financeiramente — com qualquer valor! — minha chave PIX principal é [email protected] e essa imagem é meu QR code: o nome de confirmação é Geovane Ignácio de Souza e o trecho do CPF a aparecer deve ser o “927.157“, sendo realizada uma movimentação destinada ao Nubank

Destaco que, por mais que queira, não tenho em mim mesmo a menor capacidade de forçar o Pai a te abençoar por sua generosidade, mas oro a Ele pedindo que, no tempo certo e na medida multiplicada, retribua a bondade realizada da maneira mais adequada: não apenas na restituição multiplicada do valor doado, mas também através dos mais diversos livramentos e bênçãos que, em minha limitação humana, sequer posso imaginar antecipadamente, mas que já estavam nos planos do Todo-Poderoso Deus desde antes da fundação do mundo.

Parafraseando o apóstolo Paulo em Efésios 6: 23-24: que a graça e a paz sejam conosco, todos os que amam a nosso Senhor Jesus Cristo em sinceridade, hoje e para todo o sempre!

Ficou querendo ver melhor a imagem de abertura?

Esse texto te edificou? Fez refletir?
Por favor, curta e compartilhe
para que alcance mais pessoas!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no tumblr

OUTROS ESTUDOS DO MESMO AUTOR

Leave a comment