O Pior Evangelho Do Mundo

A Bíblia Desmente Suas Afirmações…

A ORIGEM DE TODO O MAL

A FALÁCIA DAS “COISAS NATURAIS”

No segun­do capí­tu­lo falei bre­ve­men­te sobre o mode­lo bíbli­co para a prá­ti­ca de boas ações e em alguns males decor­ren­tes de sua ins­ti­tu­ci­o­na­li­za­ção e, sem dúvi­da, boa par­te dos que são sedu­zi­dos pela fei­ti­ça­ria ver­me­lha (ao menos ini­ci­al­men­te) está reple­ta de boas inten­ções e pla­nos gran­di­o­sos para tor­nar o mun­do um local de acor­do com sua visão do pode­ria ser bom… nem que para pro­mo­ver o bem tenham de ser impos­tas leis absur­das for­mu­la­das por gover­nos ditatoriais!

Alguns exem­plos des­sas “boas inten­ções” podem ser encon­tra­dos na sanha de impor leis rela­ci­o­na­das ao que as pes­so­as con­so­mem ou dei­xam de con­su­mir: já tive opor­tu­ni­da­de de escre­ver um arti­go — a pri­mei­ra par­te de Cro­no­lo­gia— onde, sem­pre com base bíbli­ca, esva­zio o fala­tó­rio dos céti­cos quan­to a ali­men­ta­ção geral na Arca de Noé, apre­sen­to a irre­le­vân­cia do vege­ta­ri­a­nis­mo na pers­pec­ti­va divi­na. e, de que­bra, des­truo o argu­men­to de “abrir as jane­las dos céus” usa­do por alguns pre­ga­do­res este­li­o­na­tá­ri­os.
Na lei­tu­ra da Bíblia, quan­do se apren­de a bus­car o ver­da­dei­ro sujei­to a quem o tex­to é dire­ci­o­na­do, além das ques­tões cul­tu­rais e cos­tu­mes da épo­ca, você pode aca­bar ten­do uma com­pre­en­são abso­lu­ta­men­te diver­sa de epi­só­di­os his­to­ri­ca­men­te mal inter­pre­ta­dos ou, pior ain­da, desa­per­ce­bi­dos.
Porém, mes­mo na sim­pli­ci­da­de de um lei­go. obser­var os fatos sob uma pers­pec­ti­va cro­no­ló­gi­ca cor­re­ta já é sufi­ci­en­te para dar um enten­di­men­to que mui­tos “dou­to­res da lei” — cães gulo­sos e coça­do­res de comi­chões pro­fis­si­o­nais — se recu­sam a reco­nhe­cer, quan­to mais a pro­pa­gar…
Por exem­plo: vocês sabem qual foi a PRIMEIRA PROIBIÇÃO de toda a história?

E orde­nou o Senhor Deus ao homem, dizen­do: De toda a árvo­re do jar­dim come­rás livre­men­te,
Mas da árvo­re do conhe­ci­men­to do bem e do mal, dela não come­rás; por­que no dia em que dela come­res, cer­ta­men­te morrerás.

(Gêne­sis 2: 16–17)

Isso mes­mo: quer coi­sa mais natu­ral que o fru­to de uma árvo­re?!?
Hoje nos depa­ra­mos com cre­ti­nos que sus­ten­tam algu­mas depra­va­ções afir­man­do ser livre o con­su­mo de tudo o que é natu­ral. pois “é cri­a­ção de Deus”!
Pro­va­vel­men­te o pri­mei­ro item a apa­re­cer em sua memó­ria foi a mal­di­ta e con­tro­ver­sa maco­nha, mas tam­bém são natu­rais o taba­co, mui­tos tipos de álco­ol, a cicu­ta, a bela­do­na… enfim, nem tudo o que vem da natu­re­za pode ser con­su­mi­do com essa des­pre­o­cu­pa­ção apa­te­ta­da.
Esse foi, inclu­si­ve, um dos argu­men­tos usa­dos pela pró­pria ser­pen­te, no Éden, para con­ven­cer Eva a inge­rir um dos dois fru­tos proi­bi­dos pelo Senhor Deus. O outro moti­vo dado foi, sem som­bra de dúvida

A PRIMEIRA AÇÃO SOCIALISTA DA HISTÓRIA

Ora, a ser­pen­te era mais astu­ta que todas as ali­má­ri­as do cam­po que o Senhor Deus tinha fei­to.
E esta dis­se à mulher:
É assim que Deus dis­se: Não come­reis de toda a árvo­re do jar­dim?
E dis­se a mulher à ser­pen­te:
Do fru­to das árvo­res do jar­dim come­re­mos,
Mas do fru­to da árvo­re que está no meio do jar­dim, dis­se Deus:
Não come­reis dele, nem nele toca­reis para que não mor­rais.
Então a ser­pen­te dis­se à mulher:
Cer­ta­men­te não mor­re­reis.
Por­que Deus sabe que no dia em que dele comer­des se abri­rão os vos­sos olhos,

e sereis como Deus, saben­do o bem e o mal.

(Gêne­sis 3: 1–5)

Que safa­das mal­di­tas essas duas!
Para efei­to didá­ti­co ape­nas, me per­mi­tam rea­li­zar uma “atu­a­li­za­ção” nas pala­vras da ser­pen­te para Eva, a par­tir do ver­so 4:
Eva, sua ton­ta, esse Deus é um men­ti­ro­so eli­tis­ta que não supor­ta ver pobre andan­do de avião cor­rer o ris­co de que outros tenham as mes­mas coi­sas que Ele: é cer­to que você não vai mor­rer!
Vai, come logo esse fru­to e vamos lacrar pro­mo­ver a igual­da­de, pois todos temos os mes­mos direi­tos… a tudo!

Já me depa­rei com sabi­chões ale­gan­do ter ela sido vito­ri­o­sa por não haver caí­do mor­ta ins­tan­ta­ne­a­men­te, mas esse é o tipo de raci­o­cí­nio das pes­so­as que, mes­mo se esti­ves­sem dian­te do Senhor Deus, iri­am se achar mais esper­tas: se ela não tives­se comi­do… NUNCA cai­ria mor­ta! Nem ela, nem seus des­cen­den­tes — que, por sinal, somos nós — tería­mos conhe­ci­men­to do peca­do ou da mor­te!
Eva, femi­nis­ta empo­de­ra­da cheia de ati­tu­de, pro­va­vel­men­te con­se­guiu, por via oral, pre­ju­di­car algo que a ciên­cia só foi des­co­brir em 1869 e vem cau­te­lo­sa­men­te estu­dan­do até hoje: o DNA da huma­ni­da­de!
Esper­te­za demais às vezes atrapalha…

Outra mania hor­ro­ro­sa de uma par­te dos mani­fes­tan­tes ver­me­lhos é que­rer ficar pela­do por onde este­ja pas­san­do e já escu­tei coi­sas como “o cor­po é puro”, “a nudez é uma expres­são de revol­ta”… vamos ver como foi lá no iní­cio de tudo?

E viu a mulher que aque­la árvo­re era boa para se comer,
e agra­dá­vel aos olhos,
e árvo­re dese­já­vel para dar enten­di­men­to;
tomou do seu fru­to, e comeu,

e deu tam­bém a seu mari­do,
e ele comeu com ela.
Então foram aber­tos os olhos de ambos,

e conhe­ce­ram que esta­vam nus;
e cose­ram folhas de figuei­ra,

e fize­ram para si aventais.

(Gêne­sis 3: 6–7)

A coi­sa foi tan­to ins­tan­tâ­nea quan­to defi­ni­ti­va: aca­bou a ino­cên­cia!
O mais legal que isso nem mes­mo foi uma impo­si­ção soci­al, mas foi algo sin­ce­ro e espon­tâ­neo, de den­tro para fora.
Já já vol­to a falar sobre isso.

Para encer­rar o assun­to, após ter pos­to a ser­pen­te para ras­te­jar e esta­be­le­ci­do as dure­zas coti­di­a­nas da vida huma­na (nos ver­sos de 11 a 20: dei­xa de pre­gui­ça e arru­ma uma Bíblia para ler!), vamos encon­trar uma pas­sa­gem bas­tan­te escla­re­ce­do­ra sobre o pro­to­co­lo divino:

E fez o Senhor Deus a Adão e à sua mulher túni­cas de peles, e os ves­tiu.
Então dis­se o Senhor Deus:
Eis que o homem é como um de nós, saben­do o bem e o mal;
ora, para que não esten­da a sua mão,

e tome tam­bém da árvo­re da vida,
e coma e viva eter­na­men­te,
O Senhor Deus, pois, o lan­çou fora do jar­dim do Éden,

para lavrar a ter­ra de que fora toma­do.
E haven­do lan­ça­do fora o homem,

pôs que­ru­bins ao ori­en­te do jar­dim do Éden,
e uma espa­da infla­ma­da que anda­va ao redor,
para guar­dar o cami­nho da árvo­re da vida.

(Gêne­sis 3: 21–24)

Não vou me ater expli­can­do que a razão do “nós” (que apa­re­ce no ver­so 23) foi uma con­sequên­cia da exis­tên­cia da Trin­da­de, mas que­ro ape­nas des­ta­car duas refe­rên­ci­as que des­tro­em mais alguns argu­men­tos da mili­tân­cia pro­gres­sis­ta: no ver­so 21 Ele pró­prio mata algum bicho — não para comer, mas ape­nas para arru­mar umas túni­cas de pele — e no ver­so 24 ele põe que­ru­bins MAIS uma “espa­da infla­ma­da” auto­lo­co­mo­to­ra para aca­bar com qual­quer espe­ran­ça de alguém aces­sar a fon­te da imor­ta­li­da­de!
Nem flo­res, nem livros no lugar de armas… mui­to menos um coral can­tan­do “Ima­gi­ne”: ao con­trá­rio das idei­as de extre­ma pro­te­ção aos ani­mais dos vega­nos, o Senhor Deus não têm mui­tos pro­ble­mas ao lidar com

CARNE E SANGUE

E conhe­ceu Adão a Eva, sua mulher, e ela con­ce­beu e deu à luz a Caim, e dis­se:
Alcan­cei do Senhor um homem.
E deu à luz mais a seu irmão Abel; e Abel foi pas­tor de ove­lhas, e Caim foi lavra­dor da ter­ra.
E acon­te­ceu ao cabo de dias que Caim trou­xe do fru­to da ter­ra uma ofer­ta ao Senhor.
E Abel tam­bém trou­xe dos pri­mo­gê­ni­tos das suas ove­lhas, e da sua gor­du­ra;
e aten­tou o Senhor para Abel e para a sua ofer­ta.
Mas para Caim e para a sua ofer­ta não aten­tou.
E irou-se Caim for­te­men­te, e des­caiu-lhe o semblante.

(Gêne­sis 4: 1–4)

Nova­men­te vou con­tem­po­ri­zar a pas­sa­gem, mas a ideia é bas­tan­te sim­ples: Caim che­gou cheio das idei­as vege­ta­ri­a­nas, mas Deus gos­tou mes­mo foi das ofer­tas pro­tei­cas de Abel — e tenham em men­te que nes­sa épo­ca nin­guém comia car­ne ain­da! — e isso dei­xou o pri­mo­gê­ni­to abso­lu­ta­men­te transtornado!

E o Senhor dis­se a Caim:
Por que te iras­te? E por que des­caiu o teu sem­blan­te?
Se bem fize­res, não é cer­to que serás acei­to?
E se não fize­res bem, o peca­do jaz à por­ta, e sobre ti será o seu dese­jo, mas sobre ele deves domi­nar.
E falou Caim com o seu irmão Abel;

e suce­deu que, estan­do eles no cam­po, se levan­tou Caim con­tra o seu irmão Abel, e o matou.

(Gêne­sis 4: 6–8)

Ora se isso não nos reme­te ao com­por­ta­men­to de alguns que che­gam ao extre­mo de não con­su­mir nem mes­mo lei­te ou ovos por, entre outras razões, “amor e res­pei­to pela vida”, mas que estão uni­dos aos abor­tis­tas em suas mani­fes­ta­ções e, mais recen­te­men­te, até cele­bra­ram um aten­ta­do a faca con­tra um dos can­di­da­tos à pre­si­dên­cia do Bra­sil…
Aliás, um com­por­ta­men­to rela­ti­va­men­te comum entre esse tipo de mani­fes­tan­tes é “pro­tes­tar” arran­can­do as rou­pas e expon­do sua nudez dian­te de qual­quer um que este­ja nas pro­xi­mi­da­des… e ago­ra reto­mo o “fim da ino­cên­cia” ao qual pro­me­ti retor­nar, pois o argu­men­to de que essa prá­ti­ca obs­ce­na seria algo natu­ral foi extin­to no exa­to momen­to em que Eva inge­riu o fru­to proi­bi­do. 
Uns seis mil anos depois, não vai ser sua rebel­dia o ele­men­to capaz de con­ser­tar tudo… Não tem volta!

A mes­ma des­cul­pa de “acon­te­ce na natu­re­za” tem sido usa­da na ten­ta­ti­va de jus­ti­fi­car quais­quer prá­ti­cas em desa­cor­do com os pre­cei­tos judai­co-cris­tãos tra­di­ci­o­nais… e não estou me refe­rin­do ape­nas ao homos­se­xu­a­lis­mo, mas a prá­ti­cas ain­da mais obs­ce­nas e bes­ti­ais como pedo­fi­lia, inces­to e zoo­fi­lia.
Não vou per­der meu tem­po apre­sen­tan­do o que tem sido dito em defe­sa des­sas bes­ti­a­li­da­des, mas vou ape­nas citar o con­cei­to de Deus para o ser humano:

E cri­ou Deus o homem à sua ima­gem; à ima­gem de Deus o cri­ou; homem e mulher os cri­ou.
E Deus os aben­ço­ou, e Deus lhes dis­se:
Fru­ti­fi­cai e mul­ti­pli­cai-vos, e enchei a ter­ra, e sujeitai‑a;
e domi­nai sobre os pei­xes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o ani­mal que se move sobre a ter­ra.
(…)
Ó Senhor, Senhor nos­so, quão admi­rá­vel é o teu nome em toda a ter­ra, pois puses­te a tua gló­ria sobre os céus!
Tu orde­nas­te for­ça da boca das cri­an­ças e dos que mamam, por cau­sa dos teus ini­mi­gos, para fazer calar ao ini­mi­go e ao vin­ga­dor.
Quan­do vejo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estre­las que pre­pa­ras­te;
Que é o homem mor­tal para que te lem­bres dele? e o filho do homem, para que o visi­tes?
Pois pou­co menor o fizes­te do que os anjos, e de gló­ria e de hon­ra o coro­as­te.
Fazes com que ele tenha domí­nio sobre as obras das tuas mãos; tudo puses­te debai­xo de seus pés:
Todas as ove­lhas e bois, assim como os ani­mais do cam­po,
As aves dos céus, e os pei­xes do mar, e tudo o que pas­sa pelas vere­das dos mares.
Ó Senhor, Senhor nos­so, quão admi­rá­vel é o teu nome sobre toda a terra!

(Gêne­sis 1:27–28 e Sal­mos 8: 1–9)

Enfim, o ser huma­no NÃO É reles ani­mal para se com­por­tar como um bicho NEM uma peque­na divin­da­de com auto­ri­da­de para ques­ti­o­nar o Senhor Deus: é uma cri­a­tu­ra úni­ca em tor­no da qual giram todos os even­tos, do iní­cio regis­tra­do ao final pro­fe­ti­za­do… tudo isso intei­ra­men­te para a hon­ra e a gló­ria d’Ele!

Não estou qua­li­fi­ca­do a res­pon­der além do que está escri­to e, na ver­da­de, nun­ca dis­se ser nada além do que um incom­pe­ten­te e obe­di­en­te peca­dor res­ga­ta­do: me esfor­ço para com­pre­en­der a Pala­vra e, admi­to, às vezes até falho: vivo pre­ci­san­do de per­dão e gra­ça!
Mas!!!
Há peque­nas e tão óbvi­as pas­sa­gens que tra­tam de coi­sas tão impor­tan­tes, defi­nem cla­ra­men­te o com­por­ta­men­to de quem é ser­vo, repu­di­am as aber­ra­ções… são coi­sas de uma sim­pli­ci­da­de tão absur­da e, ao mes­mo tem­po, incom­pre­en­sí­veis para tan­tos.
Coi­sas que só os que rece­bem o “adi­ti­vo” podem enten­der e, além dis­so, obedecer.

Vou encer­rar este ter­cei­ro capí­tu­lo evi­den­ci­an­do que o con­trá­rio da obe­di­ên­cia é a rebel­dia e é exa­ta­men­te sobre

REBELIÃO

que venho tra­tan­do des­de o iní­cio des­sa série… espe­ci­al­men­te as prá­ti­cas dos que caí­ram escra­vos e defen­so­res das ide­o­lo­gi­as ver­me­lhas: tudo o que dizem pro­mo­ver, até mes­mo as coi­sas “boas”, não pas­sam de afron­ta ao pró­prio Deus ou arma­di­lhas para a per­pe­tu­a­ção des­sas dou­tri­nas de demô­ni­os.
Sim!
Mui­tos podem não estar se dan­do con­ta do quão séri­as são as impli­ca­ções das mani­fes­ta­ções que rea­li­zam em prol das cau­sas que defen­dem, mas é cer­to que tam­bém há os que estão mui­to bem escla­re­ci­dos de cada minú­cia, de cada pas­so que está sen­do dado e, prin­ci­pal­men­te, das con­sequên­ci­as nefas­tas de seus pro­je­tos… e são males que trans­cen­dem efei­tos mate­ri­ais e, apro­vei­tan­do que aqui falei sobre a par­ti­cu­lar pre­fe­rên­cia “car­ní­vo­ra” de Deus, segue uma pas­sa­gem reveladora:

Tem por­ven­tu­ra o Senhor tan­to pra­zer em holo­caus­tos e sacri­fí­ci­os, como em que se obe­de­ça à pala­vra do Senhor?
Eis que o obe­de­cer é melhor do que o sacri­fi­car;
e o aten­der melhor é do que a gor­du­ra de car­nei­ros.
Por­que a rebe­lião é como o peca­do de fei­ti­ça­ria, e o por­fi­ar é como ini­qui­da­de e ido­la­tria.
Por­quan­to tu rejei­tas­te a pala­vra do Senhor, ele tam­bém te rejei­tou a ti, para que não sejas rei.

(1 Samu­el 15: 22–23)

Quan­to mais escre­vo, mais o assun­to se escla­re­ce para alguns — ou, depen­den­do do refe­ren­ci­al, se com­pli­ca para outros — e todo esse cli­ma pesa­do, essas acu­sa­ções de “ódio e vio­lên­cia” sen­do rea­li­za­das por quem mais pro­mo­ve o ódio e a vio­lên­cia, essa imo­ra­li­da­de pres­tes a ser pro­mo­vi­da em for­ma de lei… tudo isso não é por acaso!

Esta­mos lidan­do, ape­sar de cor­rer­mos o ris­co de ser con­fun­di­dos por 90% de “gado”, com feiticeiros.

PARECE EVA, MAS TEM VENENO DE SERPENTE!

Gen­te seri­a­men­te malig­na e em rebe­lião aber­ta e afron­to­sa con­tra o pró­prio Cri­a­dor, con­tra Seu Filho, con­tra a Pala­vra reve­la­da e con­tra qual­quer um que se opu­ser a seus avan­ços: gen­te que não vaci­la e nem se inti­mi­da em usar o volu­me obs­ce­no de dinhei­ro obti­do por meio da cor­rup­ção para mani­pu­lar leis, apa­re­lhar ins­ti­tui­ções, matar opo­si­to­res, frau­dar onde for pos­sí­vel…
Será que vocês não enten­dem o peso do que estou ten­tan­do dizer?
Vou ten­tar refor­mu­lar:
Não esta­mos lidan­do com pes­so­as SEM MORAL (valor neu­tro)… esta­mos lidan­do com pes­so­as INIMIGAS DA MORAL (valor nega­ti­vo), gen­te tão malé­vo­la que vai, pro­po­si­tal­men­te e sem pro­vo­ca­ção, fazer de tudo, até além do neces­sá­rio, para que o mal — ou, como pre­fe­rem cha­mar, o “pro­gres­so” (após o sig­ni­fi­ca­do da pala­vra ter sido imo­ral­men­te detur­pa­do) — se esta­be­le­ça.
A gri­tan­te pos­si­bi­li­da­de de frau­de nas urnas deve ser ape­nas mais um den­tre tan­tos arti­fí­ci­os adqui­ri­dos visan­do a per­pe­tu­a­ção ver­me­lha no poder… pro­va­vel­men­te há coi­sas não ima­gi­na­das e mui­to pio­res a ser acionadas.

Esta­mos ver­da­dei­ra­men­te lidan­do com for­ças das tre­vas e mui­ta gen­te pen­sa que isso é só coi­sa de fil­mes com efei­tos espe­ci­ais enquan­to pes­so­as, espe­ci­al­men­te cri­an­ças, somem, ritu­ais são rea­li­za­dos, fei­ti­ça­ria, bru­xa­ria, invo­ca­ção de demô­ni­os…
Não vou falar de nada dis­so no pró­xi­mo capítulo.


Achei que seria fácil escre­ver sobre esse tema por estar me base­an­do em uma pos­ta­gem que fiz em 2015…


Aqui quem escre­ve é o velho Teóphi­lo Notur­no e pros­si­go, sem­pre gra­tui­ta­men­te e con­tra todas as adver­si­da­des, ofe­re­cen­do O Pior Evan­ge­lho do Mun­do.
Sin­ce­ra­men­te espe­ro que esse tex­to tenha pro­mo­vi­do refle­xão e sido útil para sua edi­fi­ca­ção: sem­pre bus­co estri­ta e sóli­da base bíbli­ca, não sen­do vin­cu­la­do nem rece­ben­do fun­dos de nenhu­ma fran­quia de empre­sas ecle­siás­ti­cas ou empre­ja em par­ti­cu­lar.
O Senhor per­mi­tiu que a sur­dez me tocas­se em 2018 e, a des­pei­to de meus esfor­ços pes­so­ais, eu e minha famí­lia temos pas­sa­do por séri­as difi­cul­da­des finan­cei­ras, espe­ci­al­men­te des­de que minha mãe fale­ceu: por isso não me enver­go­nho de pedir seu auxí­lio não ape­nas para cus­te­ar domí­nio e hos­pe­da­gem, mas tal­vez até para con­se­guir suprir algu­mas neces­si­da­des coti­di­a­nas.
NÃO É SUA OBRIGAÇÃO me aju­dar, mas pode ter cer­te­za que sua doa­ção irá pro­por­ci­o­nar recur­sos e tem­po para me dedi­car a esse “minis­té­rio virtual”.

Dese­jan­do cola­bo­rar finan­cei­ra­men­te com qual­quer valor, minha cha­ve PIX prin­ci­pal é [email protected]​gmail.​com e essa ima­gem é do meu QR code: meu nome é Geo­va­ne Igná­cio de Sou­za, o tre­cho do CPF a apa­re­cer deve ser o “927.157″ e a ins­ti­tui­ção finan­cei­ra é o Nubank.

Por mais que quei­ra, des­ta­co que não tenho em mim mes­mo a menor capa­ci­da­de de for­çar o Pai a te aben­ço­ar por cau­sa dis­so, mas oro a Ele pedin­do para que, no tem­po cor­re­to e na medi­da mul­ti­pli­ca­da, retri­bua a bon­da­de rea­li­za­da da for­ma mais ade­qua­da: seja atra­vés de livra­men­tos ou de diver­sas bên­çãos possíveis.

O títu­lo do pró­xi­mo capí­tu­lo é “A Bíblia nega a evo­lu­ção do ser huma­no” e garan­to que tam­bém tem con­teú­do bas­tan­te interessante!

Para­fra­se­an­do o após­to­lo Pau­lo em Efé­si­os 6: 23–24: que a gra­ça e a paz sejam conos­co, todos os que amam a nos­so Senhor Jesus Cris­to em sin­ce­ri­da­de, hoje e para todo o sempre!

Me dê uma curtida?
  • 2
    Sha­res
  • 2

Deixe uma resposta

Change Language To: Portuguese English

Creative Commons License
Except where otherwise noted, O Pior Evangelho Online by Teóphilo Noturno is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.