Skip to content Skip to footer

A Bíblia Não É O Que Você Quer…

O Episódio dos Talentos x Ideologias Vermelhas

POR FAVOR, VERIFIQUE SE HÁ NECESSIDADE DE CONFIRMAR SUA CURTIDA A SEGUIR:

OBRIGADO PELA GENTIL ATENÇÃO!

A Palavra de Deus é a Verdade… a única verdade que pode conduzir o frágil ser humano — somente pela Graça, nunca pela meritocracia — até a vida eterna.

Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade.

(João 17:17)

A Palavra de Deus é perfeita… isso não significa que ela seja uma obra de fácil compreensão: homens se debruçaram por horas e dias e anos — e por suas vidas inteiras! — lendo e relendo, fundando religiões, promovendo guerras e cruzadas… e, por estarem destinados a isso, falharam e ainda hoje continuam falhando miseravelmente na tentativa de estabelecer um modelo institucional de acessar o Criador ou um ritual ou fórmula mágica que possa submetê-lO, servil, aos nossos desejos!
Na realidade, há uma “pegadinha” de Deus para com os homens nesse ponto: ela nem mesmo pode ser compreendida pelo quer descreve como “homem natural”!
Para que seja plenamente entendida, se faz necessário um “aditivo” que só o próprio Senhor Deus pode dar e, mais restritivamente ainda, não pode nem mesmo ser tomado por força: Ele só dá a quem Ele quer!!!

Achou injusto? Ficou com raivinha? Acha que pode fazer melhor?!
Pode entrar na fila, pois ela é longa… aliás, aqui vai um “spoiler” de como foi com o primeiro que pensou igual a você:

Como caíste desde o céu, ó Lúcifer, filho da alva!
Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações!
E tu dizias no teu coração:
Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte.
Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo.
E contudo levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo.

(Isaías 14: 12-15)

Pois é… nem mesmo o que você poderia entender como “boas intenções” é suficiente para justificar a arrogância de querer “hackear” o mecanismo original, perfeito e insondável criado por Deus.

Ah! A Palavra de Deus também é mais atual que o jornal de amanhã, pois suas profecias revelam eventos e situações que ainda vão ocorrer.

Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina;
mas, tendo comichão nos ouvidos,
amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências;
E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas.

(2 Timóteo 4: 3-4)

Particularmente acho “comichão nos ouvidos” uma termo próprio da realeza e da discrição que só os mais ilustres e nobres conseguem alcançar, pois o que mais tenho visto é gente com comichão no bolso vazio, no bumbum, na perereca… e o que não falta são “doutores” para acolher e apascentar seus pecados e desejos, abrindo empresas eclesiásticas ao gosto do freguês, como se institucionalizar o pecado fosse obrigar o Senhor Deus a aceitá-lo…

E é por ter passado minha vida toda vendo a humanidade o tempo inteiro querendo fazer melhor do que Deus e ser “mais boazinha” que Jesus Cristo ao fabricar uma “nova realidade mundial” que, na minha ignorância, decidi fazer essa série simples, que não vai coçar comichão de ninguém e, provavelmente, desagradar muita gente. Nesse

MERITOCRACIA

Vamos ler a simples e direta passagem conhecida como “parábola dos talentos”:

Porque isto é também como um homem que, partindo para fora da terra, chamou os seus servos, e entregou-lhes os seus bens.
E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe.
E, tendo ele partido, o que recebera cinco talentos negociou com eles, e granjeou outros cinco talentos.
Da mesma sorte, o que recebera dois, granjeou também outros dois.
Mas o que recebera um, foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor.
E muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles.
Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles.
E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.
E, chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis que com eles granjeei outros dois talentos.
Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.
Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste;
E, atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.
Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Mau e negligente servo; sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei?
Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros.
Tirai-lhe pois o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos.
Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado.
Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.

(Mateus 25: 14-30)

E acabou!
Quem não produziu não foi tomado por vítima!
Não teve “redistribuição de renda” e nem cogitaram tirar de quem tinha mais para dar a quem tinha menos… inclusive — e até eu fiquei surpreso — ocorreu exatamente o contrário: não foi feita “justiça social” e, inclusive, tiraram tudo de quem tinha menos e deram ao que mais produziu… talvez isso seja a tão odiada meritocracia!
E, claro, não teve bolsa família e nem nada parecido: foi banido para as tais “trevas exteriores” com pranto, ranger de dentes e distância absoluta do tal senhor!

É chocante! É brutal!
Vai contra a necessidade que o ser humano tem de “parecer bonito na foto” e, numa análise fria e errônea, seria a exposição de um escritor pessimamente inspirado, mas… isso só é o que enxerga quem está olhando para os detalhes errados como, por exemplo e especialmente, os adeptos do discurso socialista / comunista.

Tomemos o “senhor” do texto como uma analogia ao próprio Senhor… uma instância obviamente menor, mas devidamente outorgada e com poder suficiente para cumprir com perfeição o papel ao qual se destina e, por isso, fornecedor dos recursos iniciais a todos… da mesma forma que deveria funcionar o Estado.
Vamos considerar que a utilização do termo “servos” indica que os tais possuíam as qualificações mínimas — portanto instrução suficiente — para a execução de suas funções e, conforme a capacidade de cada um (Ei! Isso é a tal meritocracia no verso 15?) foram distribuídos os talentos!

Juntando tudo, batendo no liquidificador e bebendo sem coar: o que recebeu menos, por ser atestadamente menos capaz, NEM SE ESFORÇOU!
Optou pela acomodação e ainda realizou as mais diversas acusações ao sistema (lá no verso 24 diz que o senhor era um homem duro e com padrão absurdo de cobrança; o assédio psicológico aparece no verso 25 sob a alegação de estar “atemorizado”… se continuasse ia acabar cobrando a dívida racial histórica e requisitar as cotas…).
Enfim, como estou usando uma linguagem bem acessível neste texto: acabou demitido, sem direitos, com uma mão na frente e outra atrás… e até mesmo BANIDO do convívio social!!

Tudo isso parece absurdo, mas… essa é a palavra de Deus e quaisquer possíveis discordâncias não passam da mesma rebeldia ancestral demonstrada por Adão ou Caim… ou o próprio Lúcifer!
O maldito orgulho de pensar que podemos fazer melhor que o próprio Deus, sermos mais justos que Ele…
Se formos considerar esta parábola sob a perspectiva de uma ilustração que encontrei em um blog de cunho esquerdista…

Isso é Meritocracia?
Além de não conseguir pensar em quem Deus precisaria dar algum golpe,
que “justiça” pode haver em assistir algo sem ter pago pelo ingresso?

A despeito de passarmos a vida inteira nos debatendo (às vezes até de forma extenuante), simplesmente corremos o risco de estar concentrando nossos movimentos na direção errada, especialmente se desprezarmos os velhos ensinamentos com os quais Deus inspirou homens a escrever os textos reunidos nesse livro cuja constituição, papel e tinta, não tem poder algum, mas cuja essência, sem o “aditivo” que só o próprio Deus pode dar a quem Ele quiser, está fadada a não ser compreendida, mesmo sendo o único caminho para a vida eterna…

Aqui quem escreve é o velho Teóphilo Noturno e prossigo, contra todas as adversidades, com meus informes atualizados e consolidados, tentando alcançar — nas noites de terças e quintas — unidades desorientadas e até, talvez, atualmente sob domínio do inimigo.
Ao conteúdo que produzo chamo d’O Pior Evangelho do Mundo e sinceramente espero que essa publicação tenha promovido reflexão e colaborado para sua edificação: sempre busco exclusiva e sólida base bíblica, sendo totalmente desvinculado de qualquer franquia de empresas eclesiásticas ou emprejas em particular.

Em 2018 o Senhor permitiu que a surdez me tocasse e, a despeito de minha fé e todos os esforços pessoais que realizei, as necessidades cotidianas e as contas não cessam, colocando a mim e minha família em sérias dificuldades financeiras, especialmente após a morte de minha mãe.
Diante disso, não me envergonho ao pedir seu auxílio para suprir necessidades diversas que vão de comida e remédios até custeio de domínio e hospedagem.

NÃO É SUA OBRIGAÇÃO me ajudar, mas tenha certeza de que qualquer doação efetuada irá proporcionar não apenas recursos materiais, mas também tempo para me dedicar a estudar, escrever e produzir conteúdo ainda mais relevante para a edificação dos leitores.

Compartilhar as publicações já ajuda, mas tendo recursos e desejando colaborar financeiramente — com qualquer valor! — minha chave PIX principal é [email protected] e essa imagem é meu QR code: o nome de confirmação é Geovane Ignácio de Souza e o trecho do CPF a aparecer deve ser o “927.157“, sendo realizada uma movimentação destinada ao Nubank

Destaco que, por mais que queira, não tenho em mim mesmo a menor capacidade de forçar o Pai a te abençoar por sua generosidade, mas oro a Ele pedindo que, no tempo certo e na medida multiplicada, retribua a bondade realizada da maneira mais adequada: não apenas na restituição multiplicada do valor doado, mas também através dos mais diversos livramentos e bênçãos que, em minha limitação humana, sequer posso imaginar antecipadamente, mas que já estavam nos planos do Todo-Poderoso Deus desde antes da fundação do mundo.

Na segunda parte dessa série — chamada “A Bíblia não se curva à sua vontade” — vamos desvendar a motivação vermelha para revestir seus verdadeiros objetivos com trajes que os deixam parecendo até bondade…

Parafraseando o apóstolo Paulo em Efésios 6: 23-24: que a graça e a paz sejam conosco, todos os que amam a nosso Senhor Jesus Cristo em sinceridade, hoje e para todo o sempre!

Ficou querendo ver melhor a imagem de abertura?

Esse texto te edificou? Fez refletir?
Por favor, curta e compartilhe
para que alcance mais pessoas!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no tumblr

Notificação De Postagens Por E-mail

Em 04 de outubro de 2021 algumas das maiores redes sociais passaram horas desligadas.
Há rumores de que um “GRANDE APAGÃO” será sucedido por OPRESSIVO CONTROLE SOCIAL virtual.
Não posso prever o real impacto, mas, caso seja possível, continuarei estudando e publicando sobre as Escrituras: inscreva-se para, a partir da próxima, receber notificação em seu e-mail a cada nova publicação n’O Pior Evangelho.

(CASO NECESSÁRIO, OPORTUNAMENTE SERÁ ENVIADO CONTEÚDO INTEGRAL)

OUTROS ESTUDOS DO MESMO AUTOR

Inscrição
Notificação de
0 Comentários
Respostas inline
Ver todos os comentários
0
O que está achando? Por favor, comente!x