Extraterrenos

O "Segredo" Que Não É…

POR FAVOR, VERIFIQUE SE HÁ NECESSIDADE DE CONFIRMAR SUA CURTIDA A SEGUIR:

OBRIGADO PELA GENTIL ATENÇÃO!

Aquela era uma madrugada calma na Torre de Controle Galeão.
Dado o tempo, já não recordo mais a data nem quem era meu companheiro de “pernoitão”, porém eu ainda tinha audição perfeita e, por causa do ínfimo movimento típico daquele horário, a parte mais difícil do trabalho era ficar atento a qualquer ruído que pudesse soar como alguma aeronave chamando pelo rádio.
O trabalho pesado acontecia mesmo no “pernoitinho”, com o tráfego intenso de chegada e saída, doméstico e internacional, que exigia um legítimo esforço conjunto de autorizações e coordenações que se transformavam em instruções minuciosas , transmitidas aos comandantes desde antes do início do taxiamento até sua transferência ao controle: uma equipe de cinco ou seis controladores deveria se empenhar para lidar com tudo isso, além de administrar coisas como caminhões de bombeiro constantemente necessitando cruzar as pistas de pouso, o tráfego local dos “repórteres aéreos” que eventualmente, sem a devida comunicação, achava de cruzar a final de pouso para filmar algum engarrafamento ou conflito em favela.

Havia também os telefonemas: a despeito do emprego constante de toda equipe, alguém sempre ligava para pedir um “favorzinho” como o estimado de pouso de uma aeronave que nem mesmo decolara; ou os casos de algum chefe ou controlador que, em óbvio ato de adultério, fornecia o telefone da torre no lugar do seu próprio às eventuais namoradinhas…
Não era possível apenas ignorar esse tipo de comunicação porque, às vezes, era através desses telefonemas avulsos que tomávamos conhecimento de perigosos balões que punham em risco a aviação ou até mesmo de operações da “aviação de fundo de quintal” cujas consequências poderiam afetar o tráfego comercial.

Começo o ano apresentando um episódio que ocorreu comigo na época em que atuei como controlador de tráfego aéreo e que, inicialmente, pode parecer totalmente desvinculado do Evangelho, porém, aos que tiverem paciência para acompanhar o desenvolvimento do raciocínio, prometo apresentar uma perspectiva relativamente pouco empregada do mundo espiritual.

FOI COMIGO!

Naquela madrugada de verão, as estrelas brilhavam forte no céu claro, o movimento pesado já havia cessado e os quatro controladores do “pernoitinho” já deviam estar no sétimo sono, em suas casas.
Enquanto meu “ala”, deitado por trás das consoles num colchãozinho de campanha, fazia sua ronda pelas terras de Morfeu, eu, ainda longe de ser Teóphilo, lia alguma coisa para não sucumbir ao sono enquanto aguardava a tradicional chegada do VLOG (Varig Logística), cargueiro que, decolado de São Paulo, já vinha praticamente em linha reta para pouso na cabeceira 15 e suave taxiamento até o terminal de carga.
Só que, para minha surpresa, àquela hora da madrugada o telefone tocou e era “o maluco de Marechal Hermes”!

Na verdade eu próprio nunca havia atendido algum telefonema dele, mas seus eventuais contatos com outros controladores foram tão peculiarmente insanos que tanto não puderam deixar de ser relatados para conhecimento geral quanto acabaram lhe rendendo esse apelido tão depreciativo.
Com minhas falas em cor de barro, o diálogo ocorrido foi mais ou menos o seguinte:
Torre Galeão, bom dia!
— É da to-to-to… to-to-torre de controle?
Sim, Torre Galeão! Bom dia?
— Bo-bo-bo-bo-bo-bom dia eu não sei! Meu nome é fulano, moro aqui em Vila Mallet e já li-liguei diversas vezes praí antes…
Ligou hoje?!
— NãNÃO!! Outros dias!
Certo… e como posso te ajudar agora?
— Esto-to-tou avis-vistando um ó-objeto não iden-den-dentificado na di-di-direção de Campo dos Afo-fonsos, mas ninguém da to-to-torre de lá atende!
Confesso que ainda estava tentando entender se aquilo era um trote ou se alguém com transtornos psicológicos havia conseguido pegar em um telefone, mas, por via das dúvidas, decidi olhar na direção que ele mencionou e quase caí para trás: um objeto de grande luminosidade realmente pairava no céu após a Igreja da Penha e mais ou menos na direção do Campo dos Afonsos!
Vo-vo-vou tomar as pro-pro-providências cabí-bíveis aqui, senhor, obrigado!

Toda vez que havia exercício noturno em Afonsos, fosse de lançamento de paraquedistas ou qualquer outra coisa, era emitido NOTAM com destaque em briefing, mas não fora este o caso nem havia qualquer notificação sobre isso na prancheta. Apesar de parecer um helicóptero em voo pairado, nunca havia visto em aeronave alguma aquele tipo tão potente de aparato para iluminação externa… era quase como uma estrela brilhando suavemente e flutuando a baixa altura!
Enquanto meus dedos se embaralhavam tentando ligar para Torre Afonsos, puxei a hotline e chequei com o controle se havia algo no radar: nada!
Consegui efetuar a discagem e enquanto o telefone tocava e tocava sem que ninguém em Afonsos atendesse, ia lembrando das vezes anteriores em que testemunhei aparições do mesmo caráter que essa: alguns moradores do Careiro ligando para avisar a Ponta Pelada que estavam vendo “charutos” super velozes sobre o Rio Negro e, em Santa Cruz, quando acionamos os caças para identificar objetos sobrevoando a restinga da Marambaia e que, inclusive, foram captados pelo radar!
Apesar de estar presente, em nenhuma das outras ocasiões fora eu o principal responsável pelo acionamento das reações…

Após uns dez minutos, finalmente Afonsos atendeu!
Afonsos? Galeão! Está havendo algum exercício aí?
— Quêisso, nêgo!? Tem nem mosquito voando…
Consegue visualizar objeto voador luminoso na direção da Penha?
— Ih Alá! Não é tráfego seu não, xará?!?
Não tem NADA voando contigo então, certo?
— Zero tráfego aqui.
Obrigado.

Me lembrei que havia um outro controlador, dormindo, no mesmo recinto e que poderia ao menos colaborar como testemunha daquele episódio incomum, mas quando decidi me mover em sua direção o rádio abriu:
— Torre Galeão, muito bom dia! Aqui é o Varig Log 727*, liberado pelo controle, para instruções de pouso.
Bom dia VLOG727, Galeão opera visual com vento de 110 graus, 02 nós, altímetro 1012, pista em uso 15: livre prosseguir para pouso, informe na final com trem baixado e travado!
— 27!
Inicialmente eu não pretendia nem mencionar o que estava acontecendo ao piloto, então fui rapidamente e acordei o antigão que ressonava por trás dos consoles, logo pondo-o a par da situação e, vendo que também ficou atônito, aliviado por não ter cometido nenhuma bobagem, coisa típica dos mais modernos.

IMAGEM E INFORMAÇÕES TÉCNICAS: VARIG LOG

* Esse “727” é um número absolutamente inverídico, baseado no modelo da aeronave e aqui incluso apenas para compor um prefixo de chamada “realista”: não recordo do original!

INTERCEPTAÇÃO

Agora, contando com um “antigão” a bordo da operação, as coisas, se não mais tranquilas, se tornaram mais definidas. Passado o espanto pela quantidade e forma em que lhe foram jogadas as informações, assim que processou o quadro o experiente controlador passou a mão no microfone e logo lançou:
— VLOG727, aqui é Torre Galeão.
— Prossiga Torre!
— Recebemos informação e estamos observando um objeto luminoso aproximadamente entre suas duas e três horas. É tráfego desconhecido e sem contato rádio. Para sua segurança, solicito que esteja atento a qualquer súbita movimentação do objeto.
Alguns segundos de silêncio e uma exclamação irrompe pela frequência:
— EU TÔ AVISTANDO, TORRE! Confirme possibilidade de aproximação para tentativa de identificação visual?
Nos entreolhamos na torre e rapidamente conversamos: dados horário, condições meteorológicas e absoluta ausência de tráfego… vamos liberar!
— Ora, mas é claro! VLOG727: o vento é calmo, altímetro 1012, livre prosseguir em condições visuais para identificação de tráfego desconhecido.
Os faróis de pouso se apagaram e vimos a aeronave curvando levemente para a direita, saindo da reta final da pista 15 e rumando em direção àquele incomum ponto de forte luminosidade: foram instantes que pareceram horas até que, quando o cargueiro finalmente estava a pouco mais de uma milha para passar ao lado do que quer que fosse aquilo… a coisa simplesmente ascendeu e se deslocou numa velocidade impossível, indo quase instantaneamente desacelerar totalmente e voltar a pairar, dessa vez entre o Cristo Redentor e o complexo de antenas do Sumaré.
A verdade é que o objeto fez aquele Boeing 727-200F parecer um defunto paralítico e nenhum de nós estava pronto para ter visto aquilo. O piloto, meio desnorteado, informou:
— Torre, não foi possível realizar uma identificação do que seja o objeto… a velocidade de deslocamento… ainda tenho o objeto no visual… confirme possibilidade de nova tentativa de identificação?
— Aguarde…

Peguei o telefone e liguei para o Santos Dumont, que demorou bem menos a atender que Afonsos, apesar da lei que proibia suas operações naquele horário.
Dumont? Galeão aqui. Algum tráfego por aí?
— Operação aérea aqui só a partir das 6, né, Galeão?
Ok, então dá uma olhada para o Cristo…
Alguns segundos se passam e:
— O que é aquilo? Operação militar? Helicóptero?
Dumont, não sei o que é, mas estou com um VLOG tentando identificar e vai passar aí em cima, pode ser?
— Sem tráfego a reportar, passagem liberada… depois me conta o que é.
Sem dúvida, meu camarada. Abraço!

— VLOG727, livre prosseguir para nova tentativa de identificação, vento calmo, altímetro 1012.
Nós não podíamos ouvir, mas foi visualmente perceptível que, dessa vez, o piloto empregou bastante mais potência e a aeronave passou acelerada por sobre toda a extensão do Pico da Tijuca para, em aproximadamente um minuto, ver o objeto luminoso novamente ascender a uma velocidade impossível, só que dessa vez até desaparecer, na altitude e entre as estrelas, de nossas vistas.
— Torre Galeão… senhor… você viu isso?!?
— VLOG727: livre prosseguir com curva a esquerda: o vento é calmo, o altímetro 1012… desejaria pouso na pista 33?
— Perfeitamente, torre, prosseguindo para pouso na 33.
Nossa adrenalina devia estar brotando, junto com o suor, pelos poros e os momentos seguintes, até a liberação final para o pouso, foram de absoluto silêncio enquanto, de binóculos, escrutinávamos os céus até meio que desesperadamente. Já no solo, novo contato do piloto:
— Torre Galeão é o VLOG 727?
Prossiga 27, Galeão na escuta!
— Dadas as condições incomuns da operação que acabamos de realizar… será necessária realização de algum relatório?
Olhei para o operador mais experiente que imediatamente semicerrou os olhos numa expressão de desgosto e, sem fazer som, só moveu negativamente a cabeça e os lábios: “nã… nã… NÃO!
Negativo, senhor, na realidade apenas houve alteração na pista de pouso inicialmente solicitada por conta da presença de objeto semelhante a balão na reta final.
— Afirmativo! — senti alívio na voz do piloto — fica mais fácil explicar arremetida por causa de balão… muito obrigado e bom dia!
Bom dia, VLOG727!

CARACTERÍSTICAS NOTÁVEIS

Assim como as farmacêuticas perderiam a fonte de seus lucros ao oferecer um produto que efetivamente curasse as doenças — especialmente as que elas próprias fabricam! —, toda a mídia e agências especiais precisam ficar cozinhando em fogo lento o mistério dos Objetos Voadores Não Identificados porque a resposta não apenas acabaria com sua galinha dos ovos de ouro, mas as transformaria em objeto de absoluto repúdio de todas as pessoas que não tiveram suas mentes cauterizadas pelo deus deste século.
Desse modo, hoje lançam um pequeno fragmento de informação aqui, amanhã deixam escapar um lampejo da verdade acolá… e a humanidade, ávida por alcançar um paraíso sem Deus, segue fascinada e seduzida, engolindo tudo e eternamente incapaz de “juntar as peças” do quebra-cabeças por si própria.

Um desses caça-níqueis enganadores se chama History Channel, um suposto canal educativo que vive pesquisando sem nunca chegar a nenhuma conclusão útil.
Em relação ao episódio que acabei de relatar, traduzi uma lista lançada por eles e que apresenta 5 características inexplicáveis mais comumente observadas em OVNIs:

1) Sustentação antigravitacional

Ao contrário de qualquer aeronave conhecida, esses objetos foram avistados dominando a gravidade da Terra sem meios visíveis de propulsão.
Eles também não possuem superfícies de voo, como asas: no incidente do USS Nimitz, testemunhas descreveram um dispositivo como tubular, da forma de uma pastilha Tic Tac.

2) Aceleração súbita e instantânea

Os objetos podem acelerar ou mudar de direção tão rapidamente que nenhum piloto humano poderia sobreviver às forças G, pois seriam esmagados.
No incidente do USS Nimitz, os operadores de radar dizem ter rastreado um dos OVNIs quando ele “desabou” do céu a mais de 30 vezes a velocidade do som. O piloto de caça David Fravor — comandante do esquadrão Black Aces, baseado no Nimitz — foi enviado para interceptar um dos objetos e comparou seus rápidos movimentos de um lado para o outro (mais tarde capturados em vídeo infravermelho) ao de uma bola de pingue-pongue.
Operadores de radar no USS Princeton, parte do frota do porta-aviões Nimitz, rastrearam o objeto acelerando de uma posição estática até percorrer 100 quilômetros em um minuto: espantosos 5.800 Km/h. De acordo com o fabricante Boeing, o caça F/A 18 Super Hornet normalmente atinge uma velocidade máxima de Mach 1,6, ou cerca de 1.950 Km/h.

3) Velocidades hipersônicas sem sinais

Se uma aeronave viaja mais rápido que a velocidade do som, normalmente deixa “sinais”, como rastros de vapor e estrondos sônicos.
Muitos relatos de OVNIs observam a falta de tal evidência.

4) Camuflagem ou “Baixa observabilidade”

Mesmo quando os objetos são observados, conseguir uma visão clara e detalhada deles — seja por meio de avistamentos de pilotos, radar ou outros meios — continua sendo difícil: as testemunhas geralmente só veem o brilho ou a neblina ao seu redor.

5) Viagens trans ambientes

Alguns Fenômenos Aéreos Não Identificados foram vistos movendo-se facilmente dentro e entre diferentes ambientes, como o espaço, a atmosfera terrestre e até mesmo a água: no incidente do USS Nimitz, testemunhas descreveram um OVNI pairando sobre uma “agitação” logo abaixo da superfície calma do oceano, levando-as a especular que outra nave havia entrado na água.
Gary Vorhees, operador de radar do USS Princeton, mais tarde confirmou com o operador de sonar da Marinha de serviço naquele dia que uma nave estava se movendo a quase 140 Km/h, o que é aproximadamente o dobro da velocidade dos submarinos nucleares.

Ninguém ainda chegou perto das naves que apresentam essas características, então suas origens ainda são desconhecidas: seriam um projeto de defesa supersecreto dos EUA? Seriam Russas? Chinesas? Ou de ainda mais longe?
A única coisa que sabemos é que suas capacidades excedem qualquer tecnologia atualmente no arsenal dos EUA.

THE HISTORY CHANNEL

Vejamos agora minha síntese de um artigo de outra “fonte especializada”:

A “Anomalia do Mar Báltico” causou sensação em 2011 — uma imagem bizarra apareceu no sonar de Peter Lindberg, Dennis Åberg e sua equipe de mergulho sueca “Ocean X” enquanto caçava tesouros no fundo do norte do Mar Báltico, no centro do Golfo de Bótnia — e parece que a forma estranha da estrutura no fundo do mar não é a única “anomalia”: durante a investigação, mergulhadores disseram que logo acima da estrutura, na superfície, qualquer dispositivo eletrônico, mesmo telefones via satélite, paravam de funcionar.

A equipe conseguiu recuperar uma amostra dessa “estrutura submersa” e, após testes de laboratório, apesar da idade do objeto ser estimada em cerca de 140.000 anos, foram identificados metais que a natureza não poderia reproduzir por si mesma — Limonite e Goethita com uma pureza de cerca de 99,99% — e, por isso mesmo, extremamente raros em nosso planeta.
A análise deste misterioso objeto ainda está em sua infância e foi nomeado “artefato antigravitacional” por seus descobridores apresentar propriedades bizarras como, por exemplo, gerar um campo de energia sem precedentes e ainda não compreendido pelos cientistas.
Espera-se que a equipe de testes continue compartilhando os resultados.

EVOLUÇÃO

Basta observar analiticamente que vamos encontrar um padrão em todas as manifestações de supostos extraterrestres: conforme avança a tecnologia humana, os recursos que caracterizam os alienígenas se desenvolvem exponencialmente, de modo que a ciência terrena sempre estará “correndo atrás”, nunca sendo capaz de reproduzir seus feitos nem apresentar esclarecimentos satisfatórios.
Em contrapartida, o público fica, enredado nessa jornada infinita, aguardando que algum órgão oficial não apenas explique, mas, se possível, traga e apresente os tais seres perante o mundo, fazendo com que compartilhem os conhecimentos e tecnologias que os tornam tão “superiores” à humanidade e, através disso. nos permitindo “evoluir” e nos libertar dos limites vigentes no “planeta Terra”…

Pois bem, a seguir dessa forma permaneceremos reféns dessa verdadeira indústria do engano, que seguirá mantendo o tema aceso, porém sem nunca oferecer respostas conclusivas… até que chegue o momento em que esses seres não humanos terão a oportunidade perfeita para se manifestar abertamente: levei muitos anos “evoluindo” até que fosse capaz, em outro episódio parecido com o primeiro, de começar a entender o que realmente são todas essas manifestações — de objetos, artefatos ou criaturas — não naturais.

CONTROLE INESPERADO

Alguns anos após aquele meu primeiro avistamento e tentativa de interceptação na torre Galeão, estava eu atento ao silêncio dos rádios em mais um pernoitão quando tocou o telefone externo:
— To-to-to-to-torre Galeão! — era o “maluco de Marechal”… — O pessoal de Afo-on… Afo-onsos só dorme!
Fala Augusto! — eu até já sabia o nome dele que, por sinal, não era “Augusto”, que só coloquei para fins narrativos! — O que me conta dessa vez?
— Olha lá-lá-lá-lá-lá no meu setor!
Apesar de aleatórios. os telefonemas do Augusto eram tão regulares — e ocasionalmente bem mais úteis que os das vagabundas enganadas pelo tenente — que tinha até um “setor” só pra ele: foi só virar a cabeça e me deparar com nosso velho conhecido objeto luminoso inalcançável.
Já avistei, meu querido! Vou ligar agora para a Defesa Aérea e em dez minutos vai ter em esquadrão de F5 atrás desse ET safado!

Augusto agradeceu eletrizado e gaguejando mais do que nunca, enquanto eu, após desligar, nem fiz menção de acionar Defesa Aérea alguma: fiquei observando aquele fenômeno e pensando que, se havia algum ser racional pilotando, estava deliberadamente se permitindo visualizar e, supondo sua tecnologia avançada, ciente de que era eu. como nos episódios anteriores, quem iria lidar com ele.
Nessa época, apesar de lidar com alguns sintomas do transtorno ansioso depressivo que me levou a ser reformado, eu já era bem mais experiente e começava a me tornar um verdadeiro Teóphilo, de modo que decidi tomar uma atitude totalmente inesperada até para mim mesmo, como profissional: olhando firmemente para a luminosidade e sem abrir a boca, eu orei em espírito!

Senhor meu e Deus meu: se Tu és o criador de todo o universo, então até aquela manifestação foi criada por Ti! Tu sabes que tenho te buscado cada vez mais e creio que se está me permitindo lidar com algo que poucas pessoas no mundo sequer tiveram oportunidade de ver… é porque há objetivo nisso: aquele objeto é alguma forma de manifestação de Teu poder e Glória?!? Aquele objeto de alguma forma vai me aproximar do Senhor ou me permitir conhecê-lO melhor?? Ó, meu Pai, sei bem que contigo não se brinca e se Tu me permites vê-lo é porque algum conhecimento hei de obter, porque da existência desse tipo de manifestações eu não posso mais duvidar.
Ao contrário dos tantos telefonemas e acionamentos que realizei em todos os avistamentos anteriores, assim como abandonando o modelo espetaculoso de repreensão que havia aprendido pela vida inteira de evangélico, eu ia apenas falando em espírito (ou pensamento) com Deus, mantendo os olhos fitos no objeto luminoso e tentando nem fazer expressões que pudessem indicar o “rumo da conversa”…
Então, meu Senhor, se este brilho for de algum ser que seja meu conservo em te servir, que se aproxime e revele logo, porém, caso contrário, repreende-o para que suma e nunca mais eu o veja!
Me bastou encerrar esse clamor silencioso para que o objeto subitamente ascendesse em velocidade sobrenatural e, como da primeira vez, desaparecesse entre as estrelas.

RELATIVAMENTE TEÓRICO

O Trabalho da resultante das forças agentes em um corpo, em determinado deslocamento, mede a variação de energia cinética ocorrida nesse deslocamento.

Apesar de já haver testemunhado esse assombroso deslocamento anteriormente, foi dessa vez que me veio a mente a capa vermelha do primeiro volume de “Os Fundamentos da Física“, ferramenta essencial para qualquer candidato aos concursos militares, cujo conteúdo inclui a inesquecível segunda lei de Newton, que é a fórmula da aceleração em função da massa, que postula ser Força o produto da massa pela aceleração.
Ora, para que qualquer coisa existente, a despeito de sua estrutura física, pudesse alcançar instantaneamente tamanha velocidade sua massa deveria tender a zero, porém não podemos deixar de levar em conta que o atrito gerado nesse processo, no mínimo, incandesceria o objeto.
Como isso não ocorreu em nenhuma das ocasiões — ou o brilho seria resultado de uma queima permanente? —, mediante a imediata reação a uma repreensão de teor absolutamente imaterial, fui levado a crer que algo sem massa e sem superfície de atrito só poderia ser uma representação visível de um fenômeno absolutamente espiritual, ainda que sem qualquer característica religiosa em uma perspectiva inicial…

A energia empregada para realizar tal operação também não pode deixar de ser levada em conta:

E=mc2 é uma equação da física moderna utilizada como parte da Teoria ou Princípio da Relatividade, desenvolvida pelo físico alemão Albert Einstein: essa famosa equação determina a relação da transformação da massa de um objeto em energia e vice-versa, sendo que “E” é a energia, “m” a massa e “c” é a velocidade da luz elevada ao quadrado, considerada a única constante do Universo.
Sabendo que a velocidade da luz é de aproximadamente 300.000 km/s, a Teoria da Relatividade supõe que, caso uma massa pudesse superar a velocidade da luz, conseguiria ultrapassar a barreira do tempo e espaço.

Em 1905 Albert Einstein publicou um artigo chamado “A Inércia de um corpo dependerá de seu conteúdo energético?”, onde apresentou pela primeira vez a equação que define a relação de massa e energia.
Em comparação com os atuais padrões tecnológicos, uma “pequena” quantidade de massa, viajando no vácuo na velocidade da luz, produziria uma quantidade de energia muito “grande”, por exemplo: se 10 quilogramas de massa fossem transformadas totalmente em energia, seria produzida uma quantidade de energia suficiente para evaporar toda a água da Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro.

FONTE: SITE SIGNIFICADOS

Ora, não ignorando que o resultado da divisão de um número não-nulo por 0 tende ao infinito, aplicando esse valor para massa em ambas as fórmula nos depararíamos com o “impossível” resultado de aceleração (a = F/0) ou velocidade (E = mv2 v2 = E/0 v = √∞ v = ∞) infinitas!
E — para encerrar essa resumida exposição no campo das indefinições matemáticas e finalmente começarmos a falar das Escrituras — a próxima imagem apresenta que ∞/0 = ∞, nos permitindo aplicar a propriedade distributiva para encontrar que E/m = v2 E/0 = ∞ E = ∞, ou seja, energia que tende ao infinito… poder praticamente ilimitado!

REVELAÇÕES

Em linhas gerais, podemos dizer que se massa acelerada se torna em energia, logo o inverso se torna fisicamente plausível: ao se desacelerar a energia podemos obter não apenas massa, mas toda sorte de fenômenos possíveis (físicos, óticos, radiativos, organolépticos…) no espectro de cada frequência de nossa realidade.
Enquanto público, mídia e pesquisadores se maravilham e dedicam tempo a escrutinar sobre novos objetos e substâncias cíclica e regulamente deixados após episódios “cientificamente inexplicáveis”, um verdadeiro sábio deveria se lembrar das palavras que o Criador da realidade inspirou homens a registrar e ser capaz de vislumbrar que o comandante desse espetáculo, apesar de ainda não poder manifestar sua plenitude perante o mundo, tem energia de sobra para adicionar átomos e produzir um repertório praticamente ilimitado de acréscimos à tabela periódica.
Enquanto a maioria das pessoas é conduzida através desse intrigante enredo de migalhas reveladas e mantida cativa da expectativa pelo “dia em que faremos contato”, as Escrituras já revelaram o final dessa história com milhares de ano de antecedência:

E então será revelado o iníquo,
a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca, e aniquilará pelo esplendor da sua vinda;
A esse cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira,
E com todo o engano da injustiça para os que perecem,
porque não receberam o amor da verdade para se salvarem.

(2 Tessalonicenses 2:8-10 – ACF)

Quem crê em Cristo e na vida eterna simplesmente não precisa perder tempo ou se assombrar com tais manifestações que, por sinal, se tornarão cada vez mais frequentes mediante o recolhimento daquele que detém esse iníquo e, consequentemente, seus exércitos: eles não estão (nem nunca estiveram) habitando o tal “espaço sideral” e muitos “iniciados” sabem perfeitamente disso, o que parece ser o caso de Steven Spielberg, que mostra bastante dessa perspectiva no mal recebido pelo público “Indiana Jones e O Reino Da Caveira De Cristal”, cujo lançamento ocorreu não muito tempo após minha experiência de “repreensão alienígena”:

Agora não ouço mais e nem o vídeo tem legendas, porém lembro perfeitamente que, após a partida do objeto, Indiana Jones — herói do filme e porta-voz das ideias de seu criador — questiona o até então mentalmente controlado (ou simplesmente possesso) Harold Oxley se eles foram para o espaço e recebe uma das respostas mais brutalmente verdadeiras (e incompreendidas pelo público) de toda história do cinema:
— Not into space, but into the space between spaces (Não no espaço, mas no espaço entre os espaços).
Steven Spielberg usou esse filme para jogar essa e muitas outras informações na cara do mundo e simplesmente não foi compreendido: desde o crânio possessor que faz parte dos 13 (número bíblico de rebelião) esqueletos de cristal (substância inorgânica) que se unem (legião) para formar um ser aparentemente orgânico até esse final onde nos oferece uma nova perspectiva sobre algumas de suas próprias outras obras de conteúdo “espacial” ou “alienígena”.

Arrebatamento

SAIBA MAIS SOBRE O EVENTO QUE PRECISA OCORRER ANTES DA TÃO AGUARDADA REVELAÇÃO ALIENÍGENA:

ARREBATAMENTO

Enfim, tais seres não são nem nunca foram espaciais e estão aqui, agora, — não restritos por parede, porta, firewall, criptografia ou embaralhador de sinal — observando cada ação humana e preparando seu momento de glória quando, após a completa remoção do Espírito Santo e junto a seu príncipe, aparecerão diante do mundo com a promessa de paz, segurança e evolução.

E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz.

(2 Coríntios 11:14 – ACF)

Sei bem porque o Senhor Deus me permitiu visualizar aquele fenômeno e, através do Espírito Santo, me levou à oração e consequente livramento: se não tivesse compreendido a essência das aparições alienígenas talvez hoje não fosse Teóphilo, mas “Alienófilo”, como muitos que dedicam suas vidas a acompanhar, pesquisar e se emocionar com as migalhas irrelevantes apresentadas a cada manifestação desses espíritos travestidos de alienígenas, muitas vezes querendo “revelar a conspiração” e esquecendo de se firmar no amor da verdade…

E por isso Deus lhes enviará a operação do erro,
para que creiam a mentira;
Para que sejam julgados todos os que não creram a verdade,
antes tiveram prazer na iniqüidade.

(2 Tessalonicenses 2:11-12 – ACF)

Ainda há muito o que ser dito, porém este artigo foi escrito entre muitas dificuldades, principalmente financeiras: o Senhor livrou a mim e minha família do vírus espalhado pelo Dragão: atravessamos sem sintomas e sem que tenhamos nos tornado cobaias desse experimento cuja obrigatoriedade pode até mesmo estar relacionada às tecnologias deixadas pelos seres abordados aqui.
Meus planos são de apresentar aspectos pouco conhecidos da verdadeira batalha espiritual e das muitas possíveis formas de possessão, a maioria delas inicial e surpreendentemente sem qualquer aspecto religioso.

Obrigado por ter lido até aqui e, verdadeiramente, preciso de qualquer colaboração que puder me oferecer: comentários, compartilhamentos e reações ajudam a divulgar este conteúdo que foi produzido com intenção de colaborar para a edificação do Corpo de Cristo no mundo.
Um link encurtado e de fácil memorização para essa postagem é:

https://cutt.ly/extraterreno

A verdade é que preciso MUITO de auxílio financeiro e mesmo as pequenas doações, quando somadas, podem ajudar a diminuir o atraso das contas.

Desejando colaborar financeiramente com qualquer valor, minha chave PIX principal é [email protected] e essa imagem é do meu QR code: meu nome é Geovane Ignácio de Souza, o trecho do CPF a aparecer deve ser o “927.157” e a instituição financeira é o Nubank.

Sei bem que em mim não há valor algum, por isso dedico meu tempo a pesquisar e escrever, sempre tentando comparar tudo às Escrituras: o que de graça recebi, de graça também compartilho…
Infelizmente há fatores envolvidos nesse processo que geram custos e, na realidade, eu próprio e minha família precisamos sobreviver: peço que considere a possibilidade de, através do Paypal, colaborar mensalmente com pelo menos R$ 15,00.
Atualmente não tenho nenhum colaborador, mas se 40 pessoas se propusessem a ajudar com esse valor mínimo, ao menos os gastos com energia elétrica e internet seriam cobertos.

Por mais que queira, destaco que não tenho em mim mesmo a menor capacidade de forçar o Pai a te abençoar por causa disso, mas oro a Ele pedindo para que, no tempo correto e na medida multiplicada, retribua a bondade realizada da forma mais adequada: seja através de livramentos ou de diversas bênçãos possíveis.

Parafraseando o apóstolo Paulo em Efésios 6: 23-24: que a graça e a paz sejam conosco, todos os que amam a nosso Senhor Jesus Cristo em sinceridade, hoje e para todo o sempre!

Ficou querendo ver melhor a imagem de abertura?

Por favor, curta e compartilhe
para alcançar mais pessoas!

Notificação De Postagens Por E-mail

Em 04 de outubro de 2021 algumas das maiores redes sociais passaram horas desligadas.
Há rumores de que um “GRANDE APAGÃO” será sucedido por OPRESSIVO CONTROLE SOCIAL virtual.
Não posso prever o real impacto, mas, caso seja possível, continuarei estudando e publicando sobre as Escrituras: inscreva-se para, a partir da próxima, receber notificação em seu e-mail a cada nova publicação n’O Pior Evangelho.

(CASO NECESSÁRIO, OPORTUNAMENTE SERÁ ENVIADO CONTEÚDO INTEGRAL)

OUTROS TEXTOS DO MESMO AUTOR

Subscribe
Notify of

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Teóphilo Noturno
Teóphilo Noturno
A Verdade, assim como um remédio, pode até ser amarga... mas é o único caminho para a salvação.

PROJETO RESGATE

plugins premium WordPress
3
0
Would love your thoughts, please comment.x
O PIOR EVANGELHO ONLINE
PRECISA MUITO DE SUA AJUDA

Em mim não há valor algum e tem sido uma honra pesquisar e elaborar conteúdo com base nas Escrituras, só que expor a ruptura entre a Igreja de Cristo e as empresas eclesiásticas não me torna querido por comerciantes da fé.
Não tenho expectativa de ser convidado para palestrar, ficando sem qualquer fonte de custeio para este trabalho que, por sinal, disponibilizo gratuitamente há mais de uma década.
O que de graça recebi, de graça também compartilho…

Infelizmente, nesse processo, há fatores que geram custos e, real e sinceramente, eu próprio e minha família precisamos sobreviver: por favor, considere a possibilidade de, através do Paypal, colaborar mensalmente.
Hoje conto com UM COLABORADOR, mas se 40 pessoas se propusessem a ajudar com R$ 15,00, ao menos os gastos com energia elétrica e internet seriam cobertos.

Perdão por esta incômoda janela, mas, como não minto, creio que esse apelo é a melhor forma de expor as dificuldades pelas quais estou passando e pedir auxílio sem incomodar tanto: aos que NÃO QUISEREM COLABORAR, basta fechá-la que, ainda assim, o conteúdo integral do site permanecerá disponível.
Obrigado!

PIX
TRANSFERÊNCIAS

BANCO: 0260 (NU PAGAMENTOS S/A)
AG: 0001  / CC: 4056479-5
Geovane I Souza
CPF: •••.927.157-••

PAYPAL
PIX
TRANSFERÊNCIAS

BANCO: 0260 (NU PAGAMENTOS S/A)
AG: 0001  / CC: 4056479-5
Geovane I Souza
CPF: •••.927.157-••

PAYPAL