Skip to content Skip to footer

O Reino dos Espíritos Caídos

A Velha Ordem Mundial

Mesmo após milhares de anos, a peculiaridade da situação apresentada na passagem a seguir merece, ao menos, um comentário sobre cada perspectiva presente em Babel:

E era toda a terra de uma mesma língua e de uma mesma fala.
E aconteceu que, partindo eles do oriente, acharam um vale na terra de Sinar; e habitaram ali.
E disseram uns aos outros: Eia, façamos tijolos e queimemo-los bem.
E foi-lhes o tijolo por pedra, e o betume por cal.
E disseram: Eia, edifiquemos nós uma cidade e uma torre cujo cume toque nos céus,
e façamo-nos um nome, para que não sejamos espalhados sobre a face de toda a terra.

(Gênesis 11:1-4)

(Em caso de não compreensão, a observação dos links disponibilizados será fundamental: essa é a primeira postagem em que alguns conceitos já apresentados deverão ser de prévio conhecimento dos leitores.)

OBSERVANDO DETALHES

  • CASAS VAZIAS: além da separação por milhares de anos, o Espírito Santo estaria longe de habitar em qualquer um dos rebelados habitantes daquela cidade — tão amedrontados e furiosos com Deus por conta do dilúvio — que se propuseram a levantar uma torre cujo cume deveria tocar os céus: se a maioria pensava apenas em um refúgio para o caso de um novo dilúvio, nada nos impede se supor que deveria ter uma meia dúzia de malucos com expectativas de ir tirar satisfações e até promover vingança se, de fato, conseguissem tocar seu objetivo.
  • ESTUPIDEZ: ao contrário do que, através das figuras de vilões, as mídias de entretenimento vêm fomentando desde que foram inventadas, os espíritos caídos não são patéticos nem desorganizados… estúpidos são os que acreditam que as ações espirituais são destrambelhadas ou caóticas!
    Dentre seus principais objetivos, em segundo lugar está a promoção de todo tipo de mal, porque em primeiríssimo vem a missão de afastar o ser humano de Deus, mesmo que para isso seja necessária a prática de algum bem aparente.
  • HIERARQUIA: tendo vindo à existência dentro do formato “exército”, a Palavra de Deus revela em mais de uma passagem que, mesmo rebelados, há uma graduação, talvez baseada em poderes, entre as hostes espirituais:
    “Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência.” (Efésios 2:2)
    “Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.” (Efésios 6:12)
  • OCUPAÇÃO ORDENADA: Diante das considerações anteriores, podemos imaginar que a malignidade vigente em Babel estava longe de ser uma balbúrdia e, prerrogativa devida aos superiores, a “adoção” ou “ocupação” também deve ter sido realizada com base numa paridade, cabendo a canalização do rei Ninrode ao próprio Satanás e, daí por diante, seus ministros e comandantes aos principados e potestades…
    O problema é que a população espiritual era da ordem de milhões e, quase certamente, não teve gente suficiente pra tanto capeta!
  • MORADOR ÚNICO: qual a probabilidade de haver alguém ali para expulsar demônios?
    Não havia evangelho, não havia Torá… não havia sequer Israel!!
    Havia apenas um bando de rebeldes xucros e absolutamente disponíveis à possessão, mas com uma uma curiosíssima ressalva aos (possivelmente milhões de) novos “proprietários”: pegou, ficou… sozinho!!

Talvez essa “questão habitacional” tenha dado origem à frase usada por Jesus Cristo quando, em Mateus 12:26, falou sobre o “reino dividido” — Satanás expulsando Satanás…

BABEL… LÔNIA???

Tudo que vimos até agora poderia ser considerado como “lenda” pelos incrédulos, porém, no meio dos frágeis restos da famosa cidade de Babilônia (cuja capital seria justamente Babel e onde hoje é o moderno Iraque), há aproximadamente um século atrás foi encontrado um tablete de pedra datado do século 6 A.C. que, ao ser examinado pelo Dr. Andrew George, da Universidade de Londres (Reino Unido), revelou uma imagem cuja importância havia passado despercebida todo este tempo e apresenta exatamente como a torre se parecia no passado.
De acordo com o Dr. George, esta é uma forte prova de que a história bíblica da Torre de Babel foi inspirada por este edifício real: no objeto há um desenho de uma torre com degraus e uma pessoa segurando uma lança e usando um chapéu de cone. Abaixo há um texto que diz “zigurate” (monumento em forma de pirâmide com camadas terraplanadas) ou “Templo da Babilônia”, assim como a história escrita é igual a que está na Bíblia.
Para ele, a pedra mostra a primeira imagem real da Torre de Babel, revelando detalhes da construção e evidenciando as sete camadas da estrutura, além de identificar um homem por trás de sua construção: o imperador Nabucodonosor II.

Fontes: Criacionismo / Hype Science

Ora, uma das coisas mais fantásticas que podemos encontrar por toda a Palavra é a simetria dos tipos e a confirmação das profecias, tornando-a um livro cujos registros foram feitos no passado e permanecem atuais como se escritos no futuro!
Temos aqui duas passagens que são exemplos perfeitos disso:

E outro anjo seguiu, dizendo:
Caiu, caiu Babilônia,
aquela grande cidade, que a todas as nações deu a beber do vinho da ira da sua fornicação.

(Apocalipse 14:8)

E levou-me em espírito a um deserto,
e vi uma mulher assentada sobre uma besta de cor de escarlata, que estava cheia de nomes de blasfêmia, e tinha sete cabeças e dez chifres.
E a mulher estava vestida de púrpura e de escarlata, e adornada com ouro, e pedras preciosas e pérolas;
e tinha na sua mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua fornicação;
E na sua testa estava escrito o nome:
Mistério, a grande Babilônia, a mãe das prostituições e abominações da terra.

(Apocalipse 17:3-5)

Os termos “fornicação” e “prostituição” nessas passagens vão muito além dos atos sexuais em si, mas também fazem referência à infidelidade espiritual, ao abandono da fé verdadeira no Deus Criador e seu desvio em adoração a qualquer coisa que possa existir, do culto ao próprio umbigo até aos espíritos malignos que dominavam a “joia da rebeldia” que era Babel, capital da Babilônia, do rei Ninrode canalizado por Satanás, que inicialmente queria construir até alcançar o céu, mas que subitamente foi derrubado.

E, por falar em “derrubado”, eu próprio tive que cair muitas vezes, correr para todos os lados, tentar muitas possibilidades e até vislumbrar uma vitória que passou por minhas mãos sem poder ser alcançada…
Creio que isso foi permitido pelo Senhor para que eu pudesse ter certeza de minha capacidade, mas que tudo aquilo não era a vontade de Deus para minha vida: que meu papel, por mais estranho que possa parecer, é ser o controverso Teóphilo Noturno.
Na Palavra está escrito que todo aquele que faz a obra do Senhor fraudulosamente é maldito, por isso chego a ficar arrepiado quando paro tudo e me dedico a escrever aqui, compartilhando a visão bíblica que me foi dada.
Também por isso, apesar de me sentir envergonhado, preciso falar a verdade em relação a minhas necessidades, pois se a catástrofe financeira que iria me destruir foi aplacada, as despesas, cotidianas e eventuais, continuam se sucedendo e, por isso, continuo aceitando doações.

Desejando colaborar financeiramente com qualquer valor, minha chave PIX principal é [email protected] e essa imagem é do meu QR code: meu nome é Geovane Ignácio de Souza, o trecho do CPF a aparecer deve ser o “927.157” e a instituição financeira é o Nubank.

Por mais que queira, destaco que não tenho em mim mesmo a menor capacidade de forçar o Pai a te abençoar por causa disso, mas oro a Ele pedindo para que, no tempo correto e na medida multiplicada, retribua a bondade realizada da forma mais adequada: seja através de livramentos ou de diversas bênçãos possíveis.

Por hoje o texto já está se tornando bastante extenso e realmente gostaria de saber se o conteúdo apresentado tem feito sentido para você: por favor, comente, reaja, pergunte, sugira…
Se para alguns o avanço pode parecer lento, para outros — que nunca viram uma explicação espiritual fora dos modelos apresentados pelas empresas eclesiásticas — pode estar sendo revelador: meu objetivo é justamente fundamentar quem não sabe sem deixar de edificar os que poderiam já saber!
Na próxima postagem vamos falar sobre as consequências da fuga de um desmoronamento.

Aqui quem escreve é o velho Teóphilo Noturno e prossigo, contra todas as adversidades, tentando alcançar — todas as terças e quintas pela noite — unidades desorientadas (e, quiçá, até as atualmente em poder do inimigo) através dos informes consolidados e atualizados que chamo d’O Pior Evangelho do Mundo.

Parafraseando o apóstolo Paulo em Efésios 6: 23-24: que a graça e a paz sejam conosco, todos os que amam a nosso Senhor Jesus Cristo em sinceridade, hoje e para todo o sempre!

Ficou querendo ver melhor a imagem de abertura?

Por favor, curta e compartilhe
para alcançar mais pessoas!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no tumblr

OUTROS TEXTOS DO MESMO AUTOR

Leave a comment

PESQUISAR